Os Contos do Tio Joaquim

Volume de contos de Rodrigo Paganino, em parte previamente publicados na revista Arquivo Universal, bem acolhido pelo público e pela crítica, que aplaudiu a simplicidade e a espontaneidade do estilo (Júlio César Machado), o realismo dos caracteres e das descrições (Pinheiro Chagas), o tom moralista das histórias e a sua adequação ao público popular (Júlio Dinis).
O fio condutor das histórias (e, supostamente, seu autor, narrador e muitas vezes personagem) é o Tio Joaquim, figura enigmática de velho camponês, cujo encontro com o autor é encenado no primeiro capítulo, e que narra uma série de casos edificantes, desvendando uma parte do seu passado infeliz no último conto, "A história do narrador". No primeiro capítulo, "O Tio Joaquim", Paganino realça indiretamente as qualidades dos seus contos (a "ideia moral que deles se depreendia facilmente", "a simplicidade dos episódios", "o gosto popular"), filiando-os nos modelos franceses de Lamartine e Émile Souvestre.
Como referenciar: Os Contos do Tio Joaquim in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-26 21:07:19]. Disponível na Internet: