Palácio da Brejoeira

Palácio de massas arquitetónicas imponentes e volumosas dos princípios do século XIX, mandado construir por Luís Pereira Velho de Moscoso, em Pinheiros, freguesia de Monção. As obras iniciaram-se em 1806 e só terminaram 22 anos depois, quando já estava à frente da casa Simão Pereira Velho de Moscoso, filho do fundador. Sabe-se que anteriormente o local era conhecido por "Quinta de Vale da Rosa" e que ali se fazia uma romaria a uma capela datada de 1605. Após a morte do morgado da casa, passou, em 1901, para as mãos de Pedro Maria da Fonseca Araújo, que efetuou algumas obras no palácio e no parque, sobre a orientação do arquiteto Ventura Terra. Monumento nacional desde 1910, este palácio tem uma planta em L com duas grandes fachadas e três torreões. No entanto, tudo leva a crer que o projeto inicial, talvez um pouco ambicioso, apontava para uma planta quadrada. Apresenta uma fachada comprida e baixa, aliada a torres nos extremos, como acontece no Palácio da Ajuda em Lisboa. Ainda dentro da tradição barroca, multiplicam-se as janelas, profusamente decoradas, numa organização tradicional no Norte de Portugal. Contudo, o eixo central da fachada nobre aponta já para uma fase seguinte, de feição neoclássica, visível no uso de balaustrada e de urnas como remate decorativo. O interior conserva ainda salas de decoração neoclássica, que também recobre o interior da capela.
Como referenciar: Palácio da Brejoeira in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-06 10:51:46]. Disponível na Internet: