Palácio Imperial de Tóquio

O Palácio Imperial de Tóquio ocupa uma área de cerca de 3 km2 no centro da cidade, no bairro Kojimachi. À sua volta estão situados os ministérios, escolas, e estabelecimentos comerciais. O local de Edo (primitivo nome de Tóquio) foi escolhido em 1457 por Ota Dokan para a construção do seu castelo, que se converteu em residência imperial a partir do século XIX. Durante o século XVI, com o governo do xógum Tokugawa Ieyasu, foi construído um palácio xogunal. Na sequência da revolução Meiji os Tokugawa foram expulsos e o antigo castelo de Edo foi ocupado e mudado o nome para Tóquio.
Com a devastação ocorrida com o sismo de 1923 e com a guerra os vestígios feudais da cidade desapareceram e o palácio imperial, um moderno edifício de betão, é reconstruído no lugar do antigo em 1969.
Entra-se no palácio através de grandes corredores separados por portas de ferro, destacando-se as salas de receção excecionalmente decoradas com obras de artistas japoneses. Salientam-se igualmente duas grandes salas: a sala dos banquetes, com 452 m2 de superfície, com um teto decorado a ouro e as paredes ostentando telas valiosas; a sala do trono, embora de menores dimensões, iguala a anterior em sumptuosidade.
Como referenciar: Palácio Imperial de Tóquio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 18:02:51]. Disponível na Internet: