Paquita

Poema narrativo, da autoria de Bulhão Pato, em sextilhas decassilábicas sobre os amores atribulados da andaluza Paquita, ampliado em edições sucessivas até 1894, que Alexandre Herculano, na sua carta-prefácio, considera "um protesto contra a poesia francesa que nos invadiu". Ainda que o narrador, em vários fragmentos metatextuais insertos no corpo do poema, censure o "vate sentimental, cantor das elas,/ Sempre triste, sombrio, e carregado", "byroniano cultor duma poesia/ Soturna", a obra nem sempre se exime aos excessos sentimentalistas do lirismo lamartiniano.
Como referenciar: Paquita in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-05 11:53:12]. Disponível na Internet: