Paul Broca

Médico, anatomista e antropólogo francês, Pierre Paul Broca nasceu a 28 de junho de 1824, em Sainte-Foy-la-Grande, no departamento da Gironda, região de Aquitânia, e faleceu a 9 de julho de 1880, em Paris.
Aos 16 anos, concluiu os estudos liceais e, em 1841, entrou para o curso de Medicina da Universidade de Paris. Posteriormente, foi professor nessa Universidade, tornando-se professor agregado, em 1953. Foi eleito para a Academia de Medicina, em 1867, onde recebeu vários prémios e honras. Fundou a Sociedade Antropológica de Paris (1859), a Revue d'Anthropologie (1872) e a Escola Antropológica de Paris (1876). Empenhou-se também na assistência médica aos pobres, tendo desempenhado um papel de relevo na Assistance Publique (atualmente designada Assistance Publique - Hôpitaux de Paris)
Considerado o fundador da neurocirurgia em França, Pierre Paul Broca dedicou o seu trabalho à histologia da cartilagem e dos ossos, à patologia do cancro, ao tratamento dos aneurismas, à mortalidade infantil, ao sistema límbico e rinencéfalo e à antropometria craniana. Destacou-se sobretudo pela descoberta do centro de fala no cérebro, que ficou conhecido como área de Broca (terceira circunvolução do lobo frontal), ao estudar os cérebros de doentes afásicos. O médico francês comprovou que esses doentes tinham uma lesão no hemisfério esquerdo, ao nível do lobo frontal, que correspondia à área cerebral que controlava a expressão verbal. Broca foi pioneiro na investigação da antropologia física, tendo desenvolvido estudos na antropometria craniana, apresentando novos craniómetros e índices numéricos. Interessado na teoria da seleção natural de Darwin, o médico francês realizou ainda importantes estudos comparativos de anatomia em vários primatas, analisando a relação entre as especificidades anatómicas do cérebro e do crânio e as respetivas competências mentais.
Como referenciar: Paul Broca in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 10:00:03]. Disponível na Internet: