Pavilhão de Ouro (Templo de Rokuonji)

Este templo foi mandado erigir em Quioto, "a cidade da paz e da tranquilidade", pelo xógum Yoshimitsu, no ano de 1343. A capital do Japão tinha sido transferida de Nara para Quioto, por determinação de um édito datado de 794. Passado um ano tinha-se construído um novo palácio no centro do xogunato, concluído em 795. No final do século XIV, este xógum patrocinou a edificação de um palácio onde se veio a fixar até abdicar do seu cargo, altura em que o palácio foi convertido num templo budista. Yoshimitsu, o seu encomendador, era um homem culto e um colecionador de objetos de arte Song, que fez construir para si um edifício de linhas sóbrias e retilíneas com dois pisos, todo elaborado a partir de madeiras finas, e cujos elementos arquitetónicos construtivos de base são as balaustradas.
O pavilhão de Quioto foi devastado por um incêndio em 1950, ateado por um jovem monge, mas não se perdeu na totalidade porque foi integralmente reconstruído. O espaço envolvente deste palácio-templo compõe-se de um amplo jardim repleto de pinheiros, com um lago e areia.
O neto de Yoshimitsu, o xógum Yoshimasa, que governou entre 1435 e 1490, foi também um amante das artes e mandou erigir um pavilhão de Prata em 1479.
O Pavilhão de Ouro integra uma área monumental classificada Património Mundial pela UNESCO em 1994 e designada por Monumentos Históricos da Antiga Quioto (cidades de Quioto, Uji e Otsu).
Como referenciar: Pavilhão de Ouro (Templo de Rokuonji) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 11:44:59]. Disponível na Internet: