Pedro Serôdio

Advogado, pintor, ficcionista, dramaturgo português, pai do político e intelectual Álvaro Cunhal (cf. Manuel Tiago), nascido em 1887, em Seia, e falecido em 1966, em Lisboa. Os três volumes de contos que publicou inserem o autor no âmbito de uma ficção neorrealista. Com o pseudónimo de Pedro Serôdio escreveu Dois Compartimentos (1944), Naquele Banco e Ajuste de Contas (1947), peças de assumida intervenção social que lhe valeram a hostilidade do regime. Raro exemplo da presença do neorrealismo na sua primeira fase na literatura dramática, dado que esta corrente estética "só muito secundária, e mesmo assim tardiamente, se interessou pelo teatro" (REBELLO, Luís Francisco - prefácio a Os Dois Compartimentos, Lisboa, 1965), nas peças de Avelino Cunhal a significação social, impondo "um certo esquematismo, tanto no desenho estereotipado das personagens como das situações em que o autor as surpreende e as denuncia" (id. ibi.), conjuga-se com recursos derivados de tendências modernistas e presencistas, a que se opunha a estética neorrealista, lançando mão de processos como "o monólogo interior, o desdobramento das personagens, a materialização dos pensamentos" (id. ibi., p. 9).
Como referenciar: Pedro Serôdio in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-22 21:13:08]. Disponível na Internet: