Peter Ackroyd

Escritor inglês, Peter Ackroyd nasceu a 5 de outubro de 1949, na cidade de Londres. Estudou na St. Benedict School de Ealing até ser admitido no Clare College da Universidade de Cambridge, onde se apaixonou pela poesia.
Licenciou-se com honras e louvores a Estudos Ingleses em 1971, ano que ficou marcado não só pelo registo de atividades panfletárias, como também com a publicação da primeira coletânea da sua obra poética, Ouch (1971). Ganhou também uma bolsa de estudos de pós-graduação para a Universidade de Yale, onde permaneceu durante dois anos.
Nesse ano de 1973 publicou uma segunda coletânea de poesia, London Lickpenny, e foi nomeado editor literário para o erudito The Spectator. Refinando o poder de síntese que o havia reputado em Cambridge, Ackroyd apareceu, em 1976, com um estudo que não passou despercebido pela crítica, Notes For A New Culture: Na Essay On Modernism, em que abordava um novo realismo no romance inglês. Em 1978 publicou mais um volume de poesia, Country Life, em que votava à paródia a relação do poeta com a sua obra, com a ironia do tempo. No ano a seguir foi a vez de Dressing Up: Tranvestism And Drag: The History Of An Obsession (1979).
Em 1980 publicou uma primeira biografia, Ezra Pound And His World, obra controversa que veio anteceder o fim da sua colaboração com o The Spectator, logo no ano seguinte. Partindo para o género do romance, imaginou um incêndio em Londres, reverenciando a narrativa de Dickens e cristalizando o clássico em histórico. Surgiu assim, em 1982, The Great Fire Of London.
No ano de 1984, em que saíram do prelo o romance The Last Testament Of Oscar Wilde e a biografia T. S. Eliot: A Life (1984), Ackroyd consagrou-se como escritor, ao ser galardoado com o prestigioso prémio Somerset Maugham e Whitbread. Passou a ocupar o cargo de crítico no suserano The Times a partir de 1986.
Fazendo remontar a cidade de Londres à sua história mística, Peter Ackroyd confronta a documentação do sobrenatural em romances como First Light (1989), em que povoa a cidade de golems e feiticeiras, ou em que a torna num labirinto setecentista onde os corpos se fundem com a impassibilidade da pedra, como em London: The Biography (2000).
Depois de se ter proclamado um cidadão da Utopia ao publicar em 1998 The Life Of Thomas More, fez uma aproximação ao estudo da diversidade com Albion: The Origins Of English Imagination (2002). A obra de Ackroyd tem sido aproximada à do alemão Patrick Süskind e à do italiano Umberto Eco, pela importância histórica que prestam à cidade.
Como referenciar: Peter Ackroyd in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-15 04:54:52]. Disponível na Internet: