Peter Falk

Ator norte-americano, Peter Falk nasceu no bairro nova iorquino de Brooklyn a 16 de setembro de 1927, filho de mãe russa e de pai polaco. Aos três anos, foi-lhe diagnosticado cancro, e os médicos retiraram-lhe cirurgicamente o olho direito. Licenciado em Contabilidade, trabalhou como cozinheiro na Marinha Mercante e como gestor de empresas. Em 1956, decidiu tentar a carreira de ator, tendo frequentado aulas de Expressão Dramática. No ano seguinte, estreou-se na Broadway e manifestou desejo em iniciar a sua carreira cinematográfica, mas viu o seu nome vetado por Harry Cohn, patrão dos estúdios Columbia, que lhe recusou um contrato devido ao seu olho de vidro. Foi Nicholas Ray quem reparou no seu talento durante uma peça da Broadway e convidou-o para desempenhar um pequeno papel em Wind Across the Everglades (Floresta Interdita, 1958), protagonizado por Christopher Plummer. Nos meses seguintes, trabalhou bastante em séries televisivas como The Twilight Zone (Quinta Dimensão, 1958-1971) e The Untouchables (Os Intocáveis, 1958-62). Pelo seu terceiro trabalho cinematográfico, arrancou uma nomeação para o Óscar para Melhor Ator Secundário: em Murder Inc. (O Sindicato do Crime, 1960) desempenhou convincentemente o papel de um assassino de uma organização criminosa. Repetiu a nomeação no ano seguinte pelo seu trabalho em Pocketful of Miracles (Milagre Por um Dia, 1961), derradeiro filme de Frank Capra, onde desempenhou o papel de um guarda-costas. Aliás, foi como ator secundário que Falk assinou os seus melhores momentos na década de 60: participou nas comédias It's a Mad Mad Mad Mad World (O Mundo Maluco, 1963) e Robin and the Seven Hood (Os Sete Ladrões da Cidade, 1964). Teve uma hilariante prestação em The Great Race (A Grande Corrida à Volta do Mundo, 1965) como braço direito de um admirável e cómico vilão encarnado por Jack Lemmon. Participou ainda em filmes de guerra como Anzio (A Batalha de Anzio, 1968) e Castle Keep (O Castelo dos Maldorais, 1969) antes de aceitar um convite do seu amigo John Cassavetes para protagonizar o seu filme Husbands (Maridos, 1970). Em 1971, interpretou pela primeira vez a personagem mais emblemática da sua carreira: a do detetive Columbo no telefilme Murder by the Book (1971), realizado por Steven Spielberg. A figura do desleixado polícia que nunca se separava da sua gabardina tornou-se célebre mundialmente, obrigando Falk a desempenhar a personagem em 70 telefilmes. Contudo, Falk não deixou de trabalhar em cinema, participando em comédias de sucesso como The Cheap Detetive (Seis Mulheres Para um Detetive, 1978) e The In-Laws (Por Favor Não Matem o Dentista, 1979). O seu grande papel dos anos 80 foi, ironicamente, desempenhando-se a si próprio em Der Himmel Über Berlim (As Asas do Desejo, 1987) de Wim Wenders. Os seus trabalhos mais recentes foram o drama Roommates (Companheiros de Quarto, 1995) onde interpretou um polaco octogenário que se vê obrigado a criar o neto e Corky Romano (Veterinário Mafioso, 2001).
Como referenciar: Peter Falk in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-21 16:01:16]. Disponível na Internet: