Peter Frampton

Músico inglês nascido a 22 de abril de 1950, em Kent. Abandonou a escola aos 16 anos para se juntar a uma banda local do sul de Londres. O projeto dava pelo nome de The Herd, e manteve-se no ativo durante três anos. Frampton formou posteriormente os Humble Pie, onde permaneceu durante dois anos até enveredar definitivamente por uma carreira a solo.
O seu primeiro trabalho em nome próprio surgiu em 1972, depois de Frampton ter participado em "All Things Must Pass" de George Harrison e em "Son of Schmilsson" de Harry Nilsson. Wind of Change foi o nome do seu registo de estreia, que chegou às lojas em 1972, e que serviu de mote a uma digressão, na qual Frampton foi acompanhado pela banda suporte Frampton's Camel. Os anos que se seguiram foram passados na estrada quase na sua totalidade. No entanto, os Frampton's Camel desmantelaram-se em 1974, precisamente no ano da edição do registo Frampton, que, no ano seguinte, conquistou o estatuto de disco de ouro.
Em 1976, foi editado ,em formato duplo, o registo do concerto realizado em São Francisco. Intitulado Frampton Comes Alive, o disco vendeu mais de seis milhões de cópias, e tornou-se no álbum ao vivo de rock que mais vendeu na altura. O sucesso do disco trouxe nova dose de destaque ao trabalho anterior do músico, sobretudo graças aos singles "Show Me The Way", "Baby, I Love Your Way", "Do You Feel Like We Do". No entanto, o maior êxito de Frampton veio incluído no álbum de 1977, e teve direito ao mesmo nome do álbum, I'm In You. Uma ameaça de fim de carreira provocada por um quase fatal acidente de automóvel ocorrido nas Bahamas, em 1978, e uma recuperação dificultada por problemas pessoais fizeram com que Frampton não tivesse regressado à atividade com a mesma força que o caracterizara até então.
Gravou esporadicamente durante a década de 80, mas não conseguiu voltar a cativar o público como anteriormente. E a provar que uma desgraça nunca vem só, quando, em 1991, Frampton planeava uma reunião com Steve Marriott, com quem formara anos antes o projeto Humble Pie, a casa de Marriott ardeu, e o músico não sobreviveu ao acidente.
Frampton prosseguiu o seu percurso a solo, editando em 1994 um álbum homónimo, que foi sucedido pela segunda parte de Frampton Comes Alive, no ano seguinte.
Já no ano 2000, o músico fez chegar às lojas, através da CMC International, o registo ao vivo Live in Detroit.
No ano seguinte, celebrando os vinte e cinco anos do lançamento original de Frampton Comes Alive!, o disco foi reeditado. Em 2003, o músico regressou às edições de estúdio. O registo Now, intimista e singelo, revelou um compositor ativo e capaz, compondo quase a totalidade do álbum e incluíndo uma versão de "While My Guitar Gently Weeps", de George Harrison.
Como referenciar: Peter Frampton in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-22 12:48:17]. Disponível na Internet: