petróglifos

Os petróglifos são representações gravadas pelo Homem em pedra ou em rochas, existindo em todos os continentes, com exceção da Antártida. O termo deriva das palavras gregas petros, "pedra", e glyphein, "talhar". Os mais antigos petróglifos recuam ao Neolítico, há cerca de 12 a 10 000 anos atrás, sendo as representações gráficas que antecedem a "invenção" da escrita, embora tenham continuado a coexistir com a prática desta até à globalização planetária plena nos séculos XIX e XX, quando alguns povos ditos "primitivos" contactaram pela primeira vez com a cultura ocidental. Faz parte do conceito geral de Arte Rupestre, mas não deve ser confundida com as pinturas ou desenhos na pedra ou em rochas, do domínio da pictografia (do grego picto, "pintar", graphein, neste sentido, "desenhar"). Os petróglifos eram feitos através dos seguintes métodos: picar, risco, incisão ou desgaste (abrasão). Eram feitos com paus, pedras ou ossos. Há quatro tipos de petróglifos: abstratos (desenhos simples, sozinhos ou junto de outros); geométricos (desenhos com geometria, como cruzes, suásticas, círculos, quadrados, sóis); figurativos ou representativos (figuras humanas ou animais, de forma simbólica); objetos (de caça, agrícolas, etc.).
A sua função ou sentido são um enigma na maior parte dos casos, diferenciados, claro, em termos de época ou local de produção. Mas o sentido religioso deve ter sido, talvez, o maior estímulo à sua execução, bem como a animação e vivência cultural dos seus produtores, além do carácter simbólico e ritual presente nas imagens e lugar onde se situam. Em alguns casos pensa-se, ainda, que deveria existir uma ideia de marcação de territórios nos lugares onde produziam estes petróglifos, como no Norte da Europa, por exemplo, ou mesmo uma intenção de sacralização do espaço. Alguns poderão ser também evocações pétreas de marcos históricos de um povo. Ou a sinalização de algo, como fontes ou mananciais, lugares sagrados. Os petróglifos são imagens que contam algo, uma memória imagética (na ausência, claro, de linguagem escrita), não uma linguagem baseada em pictogramas, como os hieróglifos.
As regiões com maior incidência de petróglifos são a Escandinávia (as runas) e Norte da Ásia, África, Austrália e América do Norte.
Do ponto de vista estilístico-artístico não há clareza em termos de padrões ou de tendências, quer numa região quer entre várias regiões em comparação. Há casos de semelhanças até entre continentes ou regiões afastadas no mesmo continente, mas não se sabe se é uma corrente artística, imitação, reprodução ou aperfeiçoamento técnico. A sua produção é misteriosa, quanto ao facto de não se saber se são criações xamânicas no momento, se idealizadas e preparadas, se direcionadas para constituírem cenários de rituais, se criadas por artistas itinerantes, copiadas, entre outras possibilidades.
Como referenciar: petróglifos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-10 03:04:14]. Disponível na Internet: