Artigos de apoio

Pica-pau
Pica-pau (Woody Woodpecker) é um personagem do cinema de animação, da banda desenhada (BD) e da televisão, criado nos Estados Unidos da América em 1940, por Ben Hardaway para o Walter Lantz Studio.
O seu riso inconfundível, interpretado pelo inimitável Mel Blanc até se dedicar em exclusivo a Bugs Bunny, é uma das imagens de marca deste personagem que, mais tarde, foi também interpretado por outras vozes, incluindo Ben Hardaway e Grace Stafford, a esposa de Walter Lantz, produtor e realizador de animação. Sempre enérgico e divertido, os seus filmes marcaram uma época de ouro da história da animação.
O Pica-pau apareceu pela primeira vez como personagem secundária de um desenho animado de Andy Panda, Knock Knock (1940), cujo guião foi escrito por Ben "Bugs" Hardaway. Este, quando trabalhou na Warner Bothers, foi co-realizador das primeiras produções de Bugs Bunny, com o qual o Pica-pau tem parecenças de personalidade.
The Cracked Nut (1941) foi o filme que marcou a sua estreia a solo e o seu batismo (antes não tinha nome), iniciando uma longa série de desenhos animados produzidos pelo Walter Lantz Studio que durou até Bye Bye Blackboard (1972), num total de cerca de 200 títulos. Dessa longa lista de filmes merecem particular destaque The Dizzy Acrobat (1943) e Musical Moments from Chopin (1947), que foram nomeados para o Óscar de Melhor Desenho Animado, bem como Wet Blanket Policy (1948), que foi nomeado para o Óscar de Melhor Canção.
O Walter Lantz Studio foi o principal fornecedor dos Estúdios Universal, entre 1929 e 1972, tendo adotado o nome do seu impulsionador em 1935.
A adaptação do Pica-pau à banda desenhada, tal como acontecia com outras personagens animadas, não demorou muito, e em 1942 deu-se a sua primeira aparição, com Andy Panda e Oswald the Rabbit em New Funnies, antologia de personagens de Lantz editada pela Dell. Esta editora apresentou histórias do Pica-pau em alguns números de Four Color Comics e, em 1952, passou a ter a sua própria revista, que se publicou até 1984. No início dos anos 90 do século XX a Harvey Comics reimprimiu algumas das histórias anteriormente publicadas pela Dell.
As histórias em BD do Pica-pau não revelaram nenhuma particularidade em especial, pela sua mediana qualidade. No entanto, de entre os autores que as produziram merecem destaque Walt Kelly, criador de Pogo, que realizou uma história em 1946, e alguns episódios escritos por Freddie Milton obtiveram rasgados elogios da crítica, embora apenas tenham sido publicadas na Europa.
Na BD surgiram novas personagens, como Nuthead e Splinter, na revista New Funnies n.º 182 (1952), que se tornariam nos sobrinhos do Pica-pau e que acabariam por ingressar nos filmes animados.
Foi a 3 de outubro de 1957 que o Pica-pau se estreou na televisão NBC, aparecendo o próprio Walter Lantz como anfitrião e a explicar como se concebia um desenho animado, facto inédito para o público.
Em 1988 o Pica-pau teve uma fugaz aparição no célebre filme Who Framed Roger Rabbit (Quem Tramou Roger Rabbit), que presta tributo ao cinema animado, e em 1999 surgiu uma nova série de desenhos animados para a Televisão Fox Kids Network.
Muitos produtos derivados têm servido de suporte ao Pica-pau e a outras personagens de Walter Lantz, não faltando mesmo os jogos multimédia, como os diversos Woody Woodpecker distribuídos pela Playgames em 2002.
Como referenciar: Pica-pau in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-09-22 14:26:38]. Disponível na Internet: