Pico Ruivo

É o ponto mais alto da ilha da Madeira e, desde há algum tempo, um dos atrativos possíveis numa visita à ilha.
De facto, apesar dos seus 1861 metros e da sua morfologia, não é difícil atingi-lo a partir de Santana. A vereda para o pico Ruivo apresenta-se em boas condições e está pavimentada até à base das escadas.
O pico Ruivo apresenta dois tipos principais de coberto vegetal: as formações de urze e uma vegetação rala, dominada por plantas de porte herbáceo e subarbustivo com algum interesse botânico.
Recobrindo o cume, algumas urzes-brancas evidenciam troncos retorcidos e copas assimétricas, nitidamente desviadas em direção oposta à dos ventos dominantes. Uma das particularidades porventura mais relevantes desta altitude é o facto de nela permanecerem pequenos núcleos de urze com porte arbustivo e arbóreo. À distância, a sua forma e distribuição no terreno lembram algumas manchas de montado de azinho.
No pico Ruivo, a rocha é um elemento importante da paisagem. Por isso, grande parte da flora atrás mencionada, bem como um conjunto significativo de fetos, musgos e líquenes são rupícolas e/ou fissurícolas (vivem nas rochas ou fendas destas).
No que diz respeito à fauna, aves como o melro-comum, o tentilhão-comum e o bisbis podem observar-se mesmo nos pontos mais elevados, já que adotam o urzal como meio alternativo. O pintarroxo-comum e a perdiz-comum também habitam o pico Ruivo.
Nas encostas do pico Ruivo, faz-se a criação de cabras, ovelhas e vacas.
Como referenciar: Porto Editora – Pico Ruivo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-24 08:33:40]. Disponível em