Pierluigi Collina

Árbitro italiano de futebol nascido a 13 de fevereiro de 1960, em Bolonha, na Itália.
O primeiro contacto com o futebol deu-se como jogador, ainda na infância, período em que jogou num pequeno clube, de Bolonha, chamado Don Orione, pertencente à igreja local. Pierluigi Collina poucas vezes alinhou a titular, situação que se manteve quando passou a representar, aos 15 anos, no Pallavicini, também de Bolonha, onde atuava como defesa central. Destacou-se por ser expulso frequentemente de jogo. No entanto, uma lesão grave impediu que continuasse a jogar futebol.
Assim, aos 17 anos, convencido por um amigo de escola, resolveu tirar um curso de arbitragem. Desde cedo, mostrou ter boas aptidões para a função e, em apenas três anos, chegou ao mais alto nível da arbitragem a nível regional. Nos três anos seguintes, andou pelos escalões regionais, até que foi chamado para cumprir serviço militar. Mesmo assim, sempre que pôde, continuou a arbitrar jogos. Collina continuou sempre a estudar e, em 1984, licenciou-se em Economia na Universidade de Bolonha, tendo sido o melhor aluno do curso.
Entretanto, aos 23 anos tinha passado a árbitro de nível nacional e cinco anos depois passou dirigir partidas da terceira divisão italiana, o que foi uma ascensão mais rápida do que o habitual. Bastaram mais três anos para passar a arbitrar jogos da primeira e segunda divisão. A 15 de dezembro de 1991 ocorreu a estreia na principal liga transalpina, no jogo Verona-Ascoli. Só na temporada 1991/92 arbitrou oito jogos da primeira divisão.
Em 1995, numa altura em que já tinha dirigido 43 jogos da I Divisão, foi promovido a árbitro da Federação Internacional de Futebol (FIFA). A 24 de abril de 1996 ocorreu a estreia em jogos internacionais ao arbitrar o Holanda-Alemanha em Roterdão.
Logo no ano seguinte, foi um dos juízes escolhidos para participar no torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Atlanta, nos Estados Unidos da América. A competição correu bem ao árbitro italiano, que foi o escolhido para apitar a final. A partir desta altura, Collina passou a ser dos árbitros mais conhecidos do mundo.
Em 1999 foi o árbitro escolhido pela UEFA (a federação europeia de futebol) para a apitar a final da Liga dos Campeões Europeus, a competição para clubes mais importante da Europa. Entretanto, em 1998 já tinha sido eleito para integrar o quadro do Mundial de França, situação que se repetiu em 2000 no Europeu disputado na Holanda e na Bélgica.
O auge da carreira aconteceu em 2002, ao ser o eleito para arbitrar a final do Campeonato do Mundo disputado no Japão e na Coreia do Sul.
Em 2004, foi nomeado para arbitrar a final da Taça UEFA, para além de marcar presença no Euro 2004.
A par da carreira de árbitro, Pierluigi Collina tem a profissão de consultor financeiro e, nos últimos anos da sua carreira, tem-se tornado um rosto cada vez mais presente em campanhas publicitárias.
Como referenciar: Pierluigi Collina in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-20 08:14:03]. Disponível na Internet: