Pinto Paixão

Político português, José Manuel Pinto Paixão nasceu a 9 de outubro de 1950, em Faro.
Em 1973, licenciou-se com 17 valores em Matemáticas pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Permaneceu neste estabelecimento de ensino onde fez quase toda a sua carreira de académico, até chegar a professor catedrático. Mas entretanto, em 1984, obteve o doutoramento pela Universidade de Londres no Imperial College of Science and Technology.
Pinto Paixão dedicou-se essencialmente à investigação científica, na área da estatística, e à investigação operacional. A nível de investigação científica dirigiu treze projetos para entidades públicas e privadas.
A sua atividade de investigação permitiu que escrevesse diversos artigos e relatórios científicos, alguns dos quais foram publicados em revistas e outras publicações portuguesas e estrangeiras. Foi ainda editor de duas publicações internacionais, de um livro e de uma edição especial de uma revista internacional.
Na Faculdade de Ciências colaborou, a nível de ensino, com instituições universitárias como o Instituto Superior Técnico da UTL, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL, a Faculdade de Economia da UNL e a Universidade da Madeira.
Ainda a nível de cooperação com outras instituições dirigiu e colaborou em projetos nas áreas de planeamento de produção, planeamento e gestão de transportes e otimização de circuitos de distribuição.
Em 1996, assumiu a presidência dos conselhos Diretivo e Científico da Faculdade de Ciências, cargos que desempenhou até 6 de fevereiro de 2002. Chegou ainda a presidente da Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e a membro do Conselho de Administração do Instituto de Ciência Aplicada e Tecnologia. No início de 2002, concorreu ao cargo de Magnífico Reitor da Universidade de Lisboa, mas foi derrotado nas eleições por José Barata-Moura, que já ocupava o posto. A 8 de abril de 2003, tomou posse como secretário de Estado do Ministro da Ciência e Ensino Superior, substituindo Manuel Fernandes Thomaz, que tinha a designação de secretário de Estado da Ciência e da Tecnologia. Passou assim a integrar o XV Governo Constitucional, liderado pelo social-democrata Durão Barroso, no que foi a sua estreia em atividades políticas.
Como referenciar: Porto Editora – Pinto Paixão na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-08-01 15:43:28]. Disponível em