Pio VI

Papa italiano, filho de Ana Teresa Bandi e do conde Marco Aurélio, João Ângelo Braschi nasceu no dia de Natal de 1717, em Cesena. Ingressou no colégio jesuíta de Roma, doutorou-se em Direito Canónico e Civil, estudou ainda na Universidade de Ferrara e foi secretário e auditor do cardeal Ruffo. Bento XIV nomeou-o camareiro secreto e em 1753 seu secretário particular, referendatário da Signatura e cónego de São Pedro. Foi ordenado, auditor e secretário do cardeal Carlo Rezzonico, tesoureiro da câmara apostólica, cardeal de Santo Onofre e abade do mosteiro de Subiaco.
Em dezembro do ano em que foi eleito para ocupar o trono pontifício, 1775, emitiu a encíclica Inscrutabile divinae sapientiae, onde censurou o Iluminismo. Proibiu a leitura do Talmud e outros livros com conteúdos anti-católicos aos hebreus e colocou mais algumas obras consideradas heréticas no Índex, tendo em vista a manutenção da união da Igreja e do entendimento com os Estados. Também com este objetivo instituiu o Giornale ecclesiastico di Roma, que serviu eficazmente de veículo de ligação entre o papa e os cristãos. Com a Revolução Francesa e a laicização do Estado deu-se uma rutura com a Santa Sede, tendo sido tomados por França territórios pertencentes à Igreja, como o condado de Venaissin e Avignon. Por outro lado, em junho de 1796 o papa viu-se obrigado a assinar o armistício de Bolonha, onde cedia Ancona, Bolonha e Ferrara, cem obras de arte de pintura renascentista e escultura clássica, vinte e um milhões de escudos e cem manuscritos a Napoleão, que tinha invadido Itália.
Em fevereiro de 1798 foi ocupada Roma pelas tropas napoleónicas, o papa foi preso, deposto enquanto soberano temporal e desterrado. Foi então para Siena e depois para a Cartuxa de Florença (desde onde expediu a bula Quum nos, em 1798, onde constavam disposições para a eleição de um novo pontífice), para Parma, Turim, Briançon e finalmente Valence, onde morreu em 1799. O seu corpo chegou a Roma embalsamado, em 1802.
A administração e a economia dos Estados Pontifícios foram renovadas neste pontificado, os artistas e intelectuais gozaram da proteção pontifícia, a biblioteca Vaticana foi aumentada com valioso códices e as escolas e universidades receberam incentivos e melhorias.
Como referenciar: Pio VI in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-21 08:16:47]. Disponível na Internet: