Planalto de Castro Laboreiro

O planalto de Castro Laboreiro, incluído no Parque Nacional da Peneda-Gerês - embora no seu limite setentrional, junto à fronteira com Espanha -, eleva-se a cerca de 1000 metros de altitude, atingindo, por vezes, cotas na ordem dos 1300 metros. Pensa-se que terá sido sede de um antigo e pequeno concelho, extinto em 1855.
O rio Laboreiro, tal como o nome indica, nasce nesta região.

Restaurado no século XX pela Direção-Geral de Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN), o castelo de Castro Laboreiro encontra-se classificado como Monumento Nacional. Esta fortaleza medieval, instalada sobre um poderoso monte de acesso muito difícil, é a primeira fortaleza da raia seca do Alto Minho. Consta de uma cerca, torre de menagem e cisterna e, no seu lado sul, um segundo recinto que se explica como espaço de mais alta importância para recolher gados e bens em época de invasão. A porta principal, a do Sol, serve este recinto em primeiro lugar, o qual, por sua vez, tem entrada para o castelo. A porta da traição, simbolicamente chamada a porta do sapo, está no lado norte, dando acesso a uma passagem sobre fragas. A análise da sua arquitetura apresenta este castelo como uma edificação do tempo de D. Dinis. No entanto, diversas referências documentais apontam para a forte possibilidade de ter havido, nesse mesmo local mas num tempo anterior, um outro castelo. Em torno de Castro Laboreiro existem abundantes vestígios megalíticos, numa área superior a 50 km2, como, por exemplo, as mamoas do Alto da Portela do Pau.
Encontram-se também três pontes medievais: das Cainheiras, de Dorna (passagem com apenas 1,5 metros de largura) e de Varziela, com guardas formadas por blocos colocados na vertical.
Em Castro Laboreiro já não se encontram muitos aspetos da povoação de antigamente. As poucas casas cobertas de colmo ou de giesta estão abandonadas e a população já não migra tanto entre invernias. Os teares de tecer o burel desapareceram e a migração sistemática e temporária de todos os homens - que fez da mulher de Castro Laboreiro uma das mais trabalhadeiras do Minho - para sul e para o Douro deixou de acontecer.
Nesta zona existe ainda uma característica raça doméstica canina que assume particular importância no contexto regional e nacional. Trata-se do cão de Castro Laboreiro, auxiliar fundamental do pastor na guarda do rebanho.
Como referenciar: Planalto de Castro Laboreiro in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-11 20:09:09]. Disponível na Internet: