ponte de Wheatstone

A ponte de Wheatstone, como o próprio nome indica, foi inventada pelo físico inglês Charles Wheatstone, que nasceu em Gloucester, a 7 de fevereiro de 1802 e que faleceu em Paris, a 19 de outubro de 1875.
Consiste num método exato para medir uma resistência e utiliza um circuito elétrico conhecido como ponte de Wheatstone.

A figura representa um esquema de uma ponte de Wheatstone. R1 representa uma resistência fixa de valor desconhecido, R2 representa uma resistência fixa mas de valor conhecido, R3 e R4 representam resistências variáveis com valores conhecidos e G representa um galvanómetro. Quando não passa qualquer corrente entre o ponto A e o ponto B, diz-se que a ponte se encontra equilibrada e o galvanómetro não indica nenhuma deflexão. Nestas circunstâncias, o potencial no ponto A é igual ao potencial no ponto B e então a diferença de potencial em R3 deve ser igual à que existe em R1; também a diferença de potencial em R2 deve ser igual à que existe em R4. Logo vem que:
R1/R2 = R3/R4, e então R1 pode deste modo ser calculado.
A ponte de Wheatstone é usada de várias maneiras. Na ponte metro, liga-se um fio elétrico que possui um metro de comprimento e resistência uniforme, às extremidades de uma tábua que se localiza ao lado de uma régua de um metro. Um cursor faz o contacto com o fio ao longo do seu comprimento, o que na figura corresponde a R3 e R4, até que o galvanómetro registe zero.
Existem formas mais atuais e práticas que usam um ou mais reóstatos giratórios para se evitarem variações.

Como referenciar: ponte de Wheatstone in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 06:40:36]. Disponível na Internet: