Prémio Femina

O Prémio Femina, criado em 1904, é um dos mais importantes galardões literários franceses e distingue anualmente uma obra de ficção. O prémio é atribuído por um júri desde sempre constituído exclusivamente por mulheres e foi fundado pela condessa Anna de Noailles e por cerca de 20 jornalistas colaboradoras da revista La Vie Heureuse, que atualmente se chama Femina.
O prémio era atribuído, todos os anos, na primeira quarta-feira de novembro, dias antes de ser conhecido o vencedor do Prémio Goncourt, outros dos mais importantes galardões literários franceses. Desde 2000, os dois galardões alternaram na prioridade do anúncio do vencedor.
O Femina foi criado para contrabalançar o Goncourt que, consideravam as suas fundadoras, não tratava equitativamente as escritoras e os escritores. Alegavam que o Goncourt era misógino. Contudo, isto não significa que o Prémio Femina seja apenas atribuído a mulheres, uma vez que ao fim de cem anos tinham sido distinguidos mais homens do que mulheres. Outro objetivo anunciado na fundação do prémio, era o de estreitar as relações de amizade entre as mulheres de Letras. O júri do Femina é composto por doze elementos e o vencedor é invariavelmente anunciado no Hotel Crillon, em Paris.
Ao longo dos mais de cem anos de história deste galardão, já foram distinguidos escritores como Myriam Harry, a primeira, pelo romance (La Conquête de Jérusalem), Roland Dorgelès (Les Croix de Bois), Georges Bernanos (La Joie), Antoine de Saint-Exupéry (Vol de Nuit - Voo Noturno), Marguerite Yourcenar (L'Oeuvre au Noir - A Obra ao Negro), Jorge Semprún (La Deuxième Mort de Ramon Mercader), Olivier Rolin (Port-Sudan - Porto Sudão), Jean-Paul Dubois (Une Vie Française - Uma Vida Francesa) e Régis Jauffret (Asile de Fous).
Para além da secção romance, atribuída desde 1904, foram criadas duas novas categorias, Ensaio, em 2002, e Romance Estrangeiro, em 2003. O primeiro vencedor do Prémio Femina Ensaio foi Michael Barry com Massoud. A escritora húngara Magda Szabo venceu a edição inaugural do Prémio Femina Romance Estrangeiro com La Porte.
Apesar de não ter valor monetário, o Prémio Femina, dado o seu prestígio, garante, à partida, um bom volume de vendas às obras distinguidas.
Como referenciar: Prémio Femina in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-19 02:41:00]. Disponível na Internet: