Princeps Senatus

O Princeps Senatus (traduzido do latim, "Príncipe do Senado") era na Antiga Roma o presidente do Senado. Este cargo era conferido a um homem, que deveria ser patrício e senador, que se distinguisse extraordinariamente e cuja vida e moral fossem inatacáveis. Podia ser vitalício, como aconteceu com Marco Emílio Escauro, que o exerceu de cerca do ano 115 a. C. até à sua morte, e era reconsiderado de cada vez que dois novos censores entravam em funções, ou seja, de cinco em cinco anos. Este título podia também ser meramente honorífico e não oficial, atribuindo-se a um homem que se destacasse pela sua relevância no seio da política ou pela bravura dos seus feitos. Os imperadores de Roma também utilizaram o título de Princeps Senatus até ao governo de Diocleciano. Com o renascimento da cultura romana na época carolíngia recuperou-se o título de príncipe, conferido quando se pretendia honrar e destacar algum personagem.
Como referenciar: Princeps Senatus in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-09 19:19:48]. Disponível na Internet: