princípio de cooperação

Um dos princípios universais, introduzidos por H. P. Grice, que guiam a interação conversacional.
Quando um falante interage utiliza, muitas vezes inconscientemente, variadas regras universais necessárias à manutenção do discurso. O princípio de cooperação é uma dessas regras. Segundo este princípio, o locutor deve preocupar-se em interagir com o alocutário da forma mais completa e explícita possível para que todos os enunciados sejam, corretamente, interpretados.

Segundo Grice o princípio de cooperação é concretizado a partir das quatro máximas conversacionais (a máxima da qualidade, a máxima da quantidade, a máxima da relevância e a máxima do modo). Assim, este princípio e os quatro subprincípios específicos que o concretizam são, na sua opinião, as principais regras que conduzem a interação conversacional, pois permitem que se estabeleça uma cumplicidade conversacional entre os falantes, fundamental para que uma conversa seja bem sucedida.

Respeitar o princípio de cooperação revela que o falante tem competência conversacional suficiente para interagir de acordo com as exigências da troca conversacional e, consequentemente, com sucesso. É o respeito pelo princípio de cooperação que possibilita que o desenvolvimento da interação discursiva em que os falantes participam siga em conformidade com o objetivo e direção específicos dos enunciados. Assim, para Grice a ironia, a ambiguidade discursiva e a metáfora, ao violarem determinadas máximas conversacionais, violam também, consequentemente, o princípio de cooperação.
Como referenciar: princípio de cooperação in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 10:58:36]. Disponível na Internet: