Promontório Sacro

Coleção de sonetos ilustrados, cujo sentido nacionalista o poeta resume na última composição, "Solemnia verba", ao formular o desejo de que os seus versos se convertam em "um clarim de guerra/ Enchendo o vale e despertando a serra,/ - Chamando para a luta a mocidade..." A mitologia marítima ("Meu Portugal - Poeta e marinheiro") confere unidade à coletânea, desdobrando-se na descrição de paisagens algarvias ("Al-hambras"), na evocação de figuras e acontecimentos históricos ("Esperança", "Gil Eanes", "Talant de bien fere"), na narração de episódios dramáticos (como o motivo do naufrágio, presente em "Subvenite, sancti dei" ou "Despojos"), nas reflexões filosóficas ("O Altitudo!").
Como referenciar: Promontório Sacro in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 10:19:53]. Disponível na Internet: