Quem tem Farelos?

Famosa farsa de Gil Vicente, Quem tem Farelos? foi representada em 1515 perante o rei D. Manuel I, em Lisboa, nos Paços da Ribeira. Conta o percalço sucedido a um triste escudeiro namorador, Aires Rosado, que suscitava a paixão em muitas moças através dos seus dotes musicais. No início da peça aparecem os dois criados que deixam morrer os seus cavalos à fome, e que têm que mendigar por farelos (daí o título da obra). Ao longo do diálogo a pobreza deste Escudeiro é exposta. Entra então em cena o Escudeiro cantando e tocando sob a janela de uma moça. A conversa entre os dois namorados torna-se impossível devido aos inúmeros ruídos. Quando a mãe da moça chega destrata o escudeiro e este, cobarde, foge.
O espectador assiste a um encadeamento de cenas realistas, através das quais se desenham as personagens, nomeadamente um tipo social bem conhecido no mundo português da época, o escudeiro pretensioso e galante.
A peça é notável pela profunda riqueza inventiva ao nível das situações e dos diálogos.
Como referenciar: Quem tem Farelos? in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 18:48:44]. Disponível na Internet: