questor

Era por este posto que se iniciava a vida política em Roma, chamada de cursus honorum. Podiam fazer parte do Senado e os estudiosos calculam que deveriam ser eleitos cerca de quinze por ano, que terminavam as suas funções a 5 de dezembro. Os questores cobravam as taxas dos portos (sendo destes os mais importantes o de Putéolos e o de Óstia) e das aduanas, geriam financeiramente as províncias e trabalhavam em tesourarias diversas ou no Tesouro de Roma. Além de se atingir o cargo por eleição (aos trinta anos, a idade apropriada), o questor podia também ser indigitado pelo cônsul de uma província, pelo que teria de cumprir as suas funções até ao final do mandato do cônsul, mesmo depois de terminar o ano correspondente ao cargo. Nas províncias, os atos dos questores estavam condicionados a aprovação dos duunviri iure iucundo (os que estavam encarregues de fazer justiça) e entre as suas funções contavam-se as de receber e administrar o dinheiro dos cidadãos do município e de dispor livremente dos escravos da comunidade de cidadãos para os auxiliarem nas tarefas que tinham de levar a cabo durante o exercício das suas funções de questores.
Como referenciar: questor in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 01:09:34]. Disponível na Internet: