radical (linguística)

Tipo de morfema que comporta o significado lexical da palavra e ao qual se podem juntar afixos gramaticais, designadamente sufixos flexionais, derivacionais ou a vogal temática. Por exemplo, da análise morfológica das palavras <inspiro>, <inspiras>, <inspira>, <inspiramos>, <inspiração>, <inspirador>, verificamos que o elemento comum a todas as palavras e que as torna semanticamente aparentadas é o morfema <inspir->. Este morfema constitui pois o radical de todas aquelas palavras e obtém-se a partir da eliminação de todas as suas desinências, ou seja, os afixos flexionais <-o>, <-as>, <-a>, <-amos>) e derivacionais (<-ação>, <ador>), que identificam a categoria gramatical das palavras, que informam sobre a sua vogal temática (neste caso, <a>) e sobre o modo, tempo, número e pessoa da forma verbal.
Em alguns casos, nomeadamente no dos verbos irregulares, o radical sofre alterações morfológicas profundas, que só podem ser justificadas de um ponto de vista diacrónico da análise da língua. Veja-se, por exemplo, o verbo <trazer>, que apresenta as seguintes mudanças ao nível do radical: <trag-> para a 1.ª pessoa do Presente do Indicativo e Presente do Conjuntivo, <traz-> para as restantes pessoas do Presente do Indicativo e Infinitivo, <troux-> para os tempos do Pretérito e <trar-> para o Futuro do Indicativo e Condicional. Devido a estas alterações em alguns radicais no plano sincrónico, distingue-se radical de raiz da palavra, sendo a raiz o elemento mais antigo encontrado na história da língua que explica as formas posteriores dos vários radicais das palavras.
Como referenciar: radical (linguística) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-26 23:11:45]. Disponível na Internet: