Artigos de apoio

radiólise
Uma radiólise consiste na utilização da radiação ionizante para produzir reações químicas.
A radiação usada inclui partículas alfa, eletrões, neutrões, raios X e raios gama provenientes de materiais radioativos, ou de aceleradores de partículas.
A energia transferida produz iões e espécies excitadas, que sofrem reações posteriores.
Uma característica importante e particular da radiólise é a formação de eletrões de vida curta.
Qualquer material pode absorver parte da energia de uma radiação que o atravessa. A grandeza desta absorção depende não só do tipo de material e da sua estrutura atómica mas, também, e de uma forma matematicamente conhecida, da sua espessura.
Esta capacidade que têm os diferentes materiais para a absorção de energia ionizante é usada em experiências designadas por radiólises.
Por exemplo, se se fizer incidir uma radiação sobre uma peça fundida ou sobre uma soldadura, poder-se-ão detetar defeitos interiores, como bolhas de ar ou gretas pela observação das variações da absorção. Em geral, e para espessuras não superiores a 10 cm, usam-se pequenos aparelhos produtores de raios X. Para espessuras superiores, recorre-se aos aparelhos de raios gama.
A radiação que atravessa o material pode ser registada com um contador ou com uma película sensível, sendo possível medir a diferença entre essa radiação e a emitida. Qualquer alteração na medição revela uma anomalia no interior do material.
Através sistema também é possível determinar espessuras de um material sem ter que tocar nele, como é o caso da produção contínua do papel ou do aço laminado, cuja espessuras devem ser sempre verificadas, sem prejudicar o ritmo de trabalho.
Como referenciar: radiólise in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-04-23 20:48:43]. Disponível na Internet: