Raymond Radiguet

Escritor francês, Raymond Radiguet nasceu a 18 de junho de 1903, em Saint-Maur-des-Fossés, nas cercanias de Paris. Filho de um desenhador caricaturista, pouco ou nada se sabe da sua juventude, exceto que começou a escrever poesia bastante cedo.
Chegou sozinho a Paris em 1918 e, no ano seguinte, já estava rodeado de personalidades influentes da vida intelectual da cidade, frequentando os círculos dadaístas e cubistas. Protegido de Jean Cocteau, Radiguet começou a escrever para revistas de inspiração surrealista, nas quais figuravam também nomes como André Breton e Louis Aragon.
Em 1920 publicou o seu primeiro livro, uma coletânea de poemas que havia escrito com apenas quinze anos de idade, com o título Les Joues en Feu. Nesse mesmo ano decidiu trocar Paris, primeiro por uma pequena aldeia piscatória perto de Toulon, logo por Piquet. Aí escreveu outra coletânea de poemas, Devoirs de Vacanes (1921), e uma peça de teatro em dois atos, Les Pélicans (1921).
Começou também a trabalhar na obra que o consagrou, Le Diable au Corps (Com o Diabo no Corpo, 1923). Publicado pela primeira vez com o título Coeur Vert (1923), o romance contava a história de um jovem de quinze anos de idade que, faltando à escola, conhece Marthe Lacombe. Marthe é uma mulher de dezanove anos, recém-casada com um soldado que se encontra ausente em combate na Primeira Grande Guerra. Sentindo-se só, enceta um relacionamento amoroso com o rapaz.
Em 1924 publicou o seu último romance, Le Bal du Comte d'Orgel (O Baile do Conde de Orgel), em que conta as andanças de um jovem pelos meios da alta sociedade parisiense.
Raymond Radiguet faleceu aos vinte anos de idade, vítima de febre tifoide, a 12 de dezembro de 1923.
Como referenciar: Porto Editora – Raymond Radiguet na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-11-28 02:44:54]. Disponível em