recetor (biologia)

Cada célula possui diferentes recetores que são moléculas proteicas complexas embebidas na membrana citoplasmática que "reconhecem" as hormonas. Cada recetor molecular pode ligar-se com uma molécula hormonal.
Semelhante a um neurónio, glândula ou músculo recetor que reconhece unicamente um tipo de neurotransmissor específico, um recetor hormonal específico tem uma única estrutura que corresponde a uma única hormona, e, quando o contacto ocorre, a hormona e o recetor funcionam num sistema de chave-fechadura. Intensas investigações foram feitas com o fim de determinar a estrutura com organização tridimensional do recetor da hormona para clarificar a natureza das interações hormona-recetor.
Cada célula está equipada com recetores que só atuam naquela célula. Se a atividade da célula é regulada por intervenção de duas hormonas, haverá um tipo de recetor para cada hormona. O número e o tipo de recetor que a célula possui podem mudar a cada instante, dependendo da função da célula e de outras circunstâncias. Em geral, o número total de recetores celulares é bastante variável. Por exemplo, células específicas para hormonas esteroides contêm de 10 000 a 100 000 recetores esteroides; cada recetor molecular pode ligar-se com uma molécula hormonal. Finalmente, só a fração de recetores que foi ocupada é que dá a resposta fisiológica da célula. Quando as moléculas hormonais se ligam aos recetores, ocorrem as alterações das atividades celulares.
Como referenciar: recetor (biologia) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-14 23:51:47]. Disponível na Internet: