Reis Católicos

Pelos seus êxitos contra os Mouros e pelo seu catolicismo, o papa Inocêncio VIII conferiu ao casal Isabel e Fernando o título de Reis Católicos.
Dos seus cinco filhos, os dois mais velhos, Isabel (casada sucessivamente com o nosso príncipe D. Afonso, filho de D. João II, e com o rei português D. Manuel I), e João, o filho varão, faleceram respetivamente em 1498 e 1497. Das três filhas restantes, Joana, a Louca, casou com Filipe da Áustria, Catarina de Aragão foi a primeira mulher de Henrique VIII de Inglaterra e Maria foi a segunda mulher de D. Manuel de Portugal.
Rainha de Castela, Isabel (1451-1502), a Católica, era filha de D. João II de Castela e de Isabel de Portugal. Morto o seu irmão D. Afonso, ascendeu ao trono de Castela, tendo casado com D. Fernando de Aragão, assim se unindo os dois reinos.
A rainha tornou-se célebre por ter aceite os projetos de Cristóvão Colombo, que então suplicava audiência e auxílio na Corte espanhola, depois de ter sido dispensado pelo rei de Portugal.
D. Fernando de Aragão (1452-1516) sucedeu a seu pai em 1479 e tornou efetiva a união das duas principais monarquias ibéricas, tendo conseguido expulsar os Mouros de toda a Espanha. Com a anexação de Navarra em 1515, ficou completo o processo de unificação do território.
Como referenciar: Reis Católicos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-01-25 20:23:53]. Disponível na Internet: