remo de competição

O remo de competição foi introduzido em Portugal há mais de cem anos pelo Clube Fluvial Portuense e foi alargado depois por dissidentes desta associação, que fundaram o Sport Clube do Porto, e por outros clubes do resto do País. Apesar de existirem poucas condições para a prática da modalidade no que concerne à compatibilidade de horários, os atletas têm alcançado bons resultados e algumas medalhas em competições internacionais.
Os países com maior tradição no remo de competição são a Alemanha, Rússia, Roménia e Itália.
A modalidade é praticada com vários tipos de barcos: existem os barcos olímpicos (shell), que podem ter 18 metros e são tripulados por oito pessoas; barcos de 12 metros, para quatro pessoas; e barcos de seis metros, para uma pessoa. Além dos shell a competição é feita também com skifs - um barco só de um remador com dois remos -, o sku - dois remadores com dois remos cada um -, o 2-sem - barco com dois remadores e um remo cada para cada um -, e o 8-mais - barco para oito pessoas, mais o timoneiro. Todos os barcos são feitos de fibra de carbono, assim como os remos.
Além dos escalões normais em todas as modalidades desportivas - infantis, iniciados, juvenis juniores e seniores -, o remo de competição, que é uma modalidade olímpica, disputa-se em duas categorias: pesados, para atletas com mais de 70 quilos, e ligeiros, para remadores com menos de 70 quilos inclusive. No skif os atletas podem pesar até 72,5 kg na categoria de ligeiros.
Como referenciar: remo de competição in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 11:43:13]. Disponível na Internet: