Resende

Aspetos Geográficos
O concelho de Resende, do distrito de Viseu, ocupa uma área de 122,5 km2 e abrange 15 freguesias: Anreade, Barrô, Cárquere, Feirão, Felgueiras, Freigil, Miomães, Ovadas, Panchorra, Paus, Nelas, São Cipriano, São João da Fontoura, São Martinho de Mouros e São Romão de Aregos.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 12 062 habitantes. O natural ou habitante de Resende denomina-se resendense.
O concelho encontra-se limitado a norte por Baião (distrito do Porto) e Mesão Frio (distrito de Vila Real), a este por Lamego, a oeste por Cinfães e a sul por Castro Daire.
Possui um clima marítimo de transição e/ou de climas diferenciados, consoante a disposição topográfica e o gradiente térmico as temperaturas são mais elevadas nas áreas de menor altitude, assim como é mais chuvoso nos lugares cujas vertentes estão voltadas a poente.
A sua morfologia é relativamente acidentada, destacando-se como áreas de maior altitude a serra do Poio (1094 m), a Seculca (891 m) e a Quintãs (893 m).
Como recursos hídricos, possui o rio Cabrum, o rio Douro e a ribeira de Martinho.

História e Monumentos
Resende como povoação existe desde a Pré-História como o comprovam os vestígios arqueológicos como os monumentos funerários de Cárquere, o castro de Aregos e as sepulturas abertas na rocha, anteriores à romanização.
As origens senhoriais de Resende encontram-se associadas aos "julgados" ou terras medievais de Aregos e S. Martinho de Mouros, que foram concelhos extintos pelas reformas, em meados do século XIX.
Em 1130, D. Afonso Henriques doou as terras a Egas Moniz.
As terras de Aregos pertenceram ao senhorio dos Gascos, de Ribadouro, linhagem dos primeiros conquistadores e a que ficou associado o nome de Egas Ermiges, tio de Egas Moniz.
Segundo a tradição, o topónimo deve-se ao nome do fundador, ou primeiro povoador, Rausendo Ermiges.
Ao nível do património histórico e arquitetónico, destacam-se a Igreja de Barrô, em Cetos, de estilo românico, com um portal com múltiplas arquivoltas e capitéis decorados com elementos fitomórficos e o tímpano com óculo decorado. De realçar a cachorrada, a torre sineira, a rosácea e no interior os capitéis, a capela-mor, a talha e os caixotões. A Igreja de Nossa Senhora, matriz de Cárquere, do século XII, é um templo manuelino que possui uma torre defensiva e medieval e a capela-mor é gótica, ambas fazendo parte da estrutura conventual que pertenceu aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, nos séculos XII a XVI, e a partir daí aos Jesuítas.
Merece referência ainda a Igreja de São Martinho de Mouros, de estilo românico, da qual o primeiro corpo forma uma torre rematada por um campanário com oito ventadas. No interior existem duas colunas que são os suportes internos da torre. O portal tem arquivoltas múltiplas com capitéis decorados.
Destacam-se também o Santuário de Nossa Senhora de Cárquere, cujo templo é manuelino e a capela-mor é gótica dos fins do século XIII. No seu interior realce para duas imagens que representam a Nossa Senhora, a Branca, de pedra de ançã, do século XIV, e Nossa Senhora de Cárquere, escultura em marfim. E, ainda, a Torre da Lagariça, que é uma torre de habitação medieval à qual foram anexadas construções.

Tradições, Lendas e Curiosidades
São muitas as manifestações populares e culturais no concelho: as festas da Labareda (as festas do concelho), que decorrem a 29 de setembro, a festa de São Cristóvão, a 25 de junho, a festa de Santo António, a 13 de junho, a festa do padroeiro de Paus, a 29 de junho, a festa da Senhora da Guia, a 17 de agosto, a festa do Senhor do Calvário, a 31 de agosto, a festa de S. Salvador, a 6 de agosto, e a festa da cerejeira em flor, em Paus. Esta festa ocorre geralmente no início da primavera, quando as cerejeiras estão em flor, sendo a cereja um dos frutos mais típicos de Resende.
No artesanato, destacam-se os trabalhos de cestaria.

Economia
A economia do concelho encontra-se ainda dependente do setor primário, contudo, nos últimos anos tem-se verificado um decréscimo deste em detrimento dos setores secundário e terciário. Assim, o setor primário absorve cerca de 47% da população trabalhadora, o setor secundário cerca de 20%, nomeadamente na indústria de construção civil, na indústria alimentar e de bebidas e na de produção de eletricidade, enquanto que o setor terciário absorve cerca de 33%.
No que se refere à atividade agrícola, predominam os cultivos de cereais para grão, frutos frescos, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. Nos frutos frescos, a cultura preponderante é a cereja, existindo uma empresa de média dimensão que procede à recolha do produto e sua distribuição.
A pecuária detém também alguma importância, nomeadamente na criação de ovinos, coelhos e aves. Quase 34% (460 ha) do seu território está coberto de floresta.
Como referenciar: Resende in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-20 21:04:10]. Disponível na Internet: