Ribeira Brava

Aspetos Geográficos
O concelho de Ribeira Brava ocupa uma área de 65 km2 e abrange quatro freguesias: Campanário, Ribeira Brava, Serra de Água e Tábua.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 12 393 habitantes. O concelho é limitado a oeste pelo concelho de Ponta do Sol, a norte por S. Vicente, a este por Câmara de Lobos e a sul pelo oceano Atlântico.
Possui um clima de influência marítima, com verões amenos, em que a temperatura média ronda os 24 °C, e invernos também amenos, com temperaturas geralmente por volta dos 17 °C.
A sua morfologia é bastante acidentada, destacando-se montes como o Pico da Senhora da Ajuda (1369 m), Pedras (1512 m) e Terra Chã (1207 m).
O edificado encontra-se no fundo de um vale estreito por onde passa a ribeira com o mesmo nome do concelho.
Como recursos hídricos, possui a ribeira Brava e a ribeira nova da Tábua.

História e Monumentos
Ribeira Brava foi um dos primeiros locais a serem povoados, ainda na primeira metade do século XV, em 1440.
A sua toponímia deve-se ao facto de ali passar uma ribeira com um caudal muito forte.
Foi elevada a sede de concelho em maio de 1914 e elevada a vila em março de 1928, sendo o seu desenvolvimento muito recente.
Ao nível do património arquitetónico, destacam-se o Solar dos Herédias, um solar rural e antiga residência dos Herédias e que atualmente serve de instalação aos serviços da Câmara Municipal da Ribeira Brava, e a Igreja de São Bento, do século XV, de influência flamenga e que teve a sua origem numa pequena capela da mesma invocação, construída no mesmo século, que foi posteriormente remodelada e acrescentada, vindo a ser a igreja paroquial.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Das manifestações populares e culturais destaque para a festa de Nossa Senhora do Bom Despacho, realizada no último fim de semana de setembro, tendo como ponto alto uma romagem de açucenas. A devoção a esta santa é influência dos imensos povoadores do Norte de Portugal, que transportavam os seus costumes e tradições das suas terras de origem.
Este concelho é rico em atividades e produtos artesanais, como os bordados, a cestaria em vime, os tapetes de retalhos, o empalhamento de garrafas, os trabalhos em fósforos, as obras de cana e os bordados da Madeira em tela.
O espaço comporta coleções etnográficas em exposição permanente.
No que se refere as espaços culturais, de referir o Museu Etnográfico da Madeira, que retrata vários temas, os quais incidem sobre diversos aspetos, como a pesca, os moinhos de água, os transportes, a tecelagem, unidades domésticas, viticultura e tratamento de cereais. São também realizadas exposições temporárias, cujo objetivo é tornar do conhecimento público diversos assuntos relacionados com a cultura da Madeira.
Como curiosidade, de referir a freguesia de Campanário cuja origem remonta à existência de um pequeno ilhéu com duas altas pernadas, uma das quais foi derrubada pelo mar em 1798, junto à costa, e que ao longe lembrava uma torre de sinos, daí o topónimo Campanário.

Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário, nas áreas do comércio e serviços de hotelaria e turismo, logo seguido pelo setor secundário, com as indústrias de serração, carpintaria, panificação e produção de eletricidade.
Na agricultura, predomina o cultivo da batata, de culturas hortícolas extensivas, a horta familiar, os frutos subtropicais e a vinha. A pecuária tem também um peso importante na economia concelhia, nomeadamente na criação de aves, suínos e caprinos. Somente cerca de 13% (138 ha) do seu território é coberto de floresta e cerca de 510 ha correspondem a terrenos para a prática agrícola.
Como referenciar: Ribeira Brava in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-10 11:13:04]. Disponível na Internet: