Richard Attenborough

Ator e realizador inglês, Richard Samuel Attenborough nasceu a 29 de agosto de 1923, em Cambridge. Filho de um reitor da Universidade de Cambridge, resolveu enveredar por uma carreira artística. Estreou-se no teatro amador com apenas 12 anos. Aos 18 anos, instalou-se em Londres onde se matriculou na Academia Real das Artes Dramáticas. Estreou-se nos palcos londrinos em 1941, numa peça de Eugene O'Neill: Ah, Wilderness. O dramaturgo Noel Coward reparou nas suas potencialidades e recomendou-o a David Lean para um pequeno papel em In Which We Serve (Sangue, Suor e Lágrimas, 1942). Aos poucos, foi construindo uma carreira sólida no cinema, participando em filmes como Journey Together (Jornada Heroica, 1946), The Magic Box (1951), Sea of Sand (Deserto em Chamas, 1958), The Great Escape (A Grande Evasão, 1963) e The Flight of the Phoenix (O Voo da Fénix, 1966). Em 1969, através da sua produtora Beaver Films, aventurou-se nos trilhos da realização com Oh! What a Lovely War (Oh! Que Delícia de Guerra, 1969), uma sátira à Primeira Guerra Mundial protagonizada por Laurence Olivier, John Gielgud, Ralph Richardson e Michael Redgrave. O relativo êxito deste título obrigou-o a retomar a realização, deste vez com um filme biográfico: Young Winston (O Jovem Leão, 1972), um retrato da vida de Winston Churchill, protagonizado por Simon Ward, Anne Bancroft e Anthony Hopkins. Em 1976, pelos serviços prestados à cultura britânica, recebeu o título de Cavaleiro. Voltaria ao épico de guerra com A Bridge Too Far (Uma Ponte Longe De Mais, 1977), um relato de uma embaraçante derrota das forças aliadas na Holanda, em 1944, com um elenco de luxo: Michael Caine, Sean Connery, Gene Hackman, Anthony Hopkins, Laurence Olivier, Robert Redford e Dirk Bogarde. O insucesso comercial do seu thriller Magic (1978) em que Anthony Hopkins interpretou sobriamente um ventríloquo dominado mentalmente pelo seu boneco, não o impediu de colocar em prática um projeto arriscado: uma biografia do grande líder pacifista indiano. Gandhi (1982) saiu como grande vencedor da noite dos Óscares, arrecadando nove estatuetas, entre as quais as de Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Ator (Ben Kingsley, uma aposta pessoal de Attenborough). Prosseguiu na senda dos filmes biográficos: retratou o ativista negro Steve Biko em Cry Freedom (Grita Liberdade, 1987) e o célebre ator-realizador Charles Chaplin em Chaplin (1992). Posteriormente, interessou-se pelos melodramas: Shadowlands (Dois Estranhos, um Destino, 1993) e In Love And War (Em Amor e em Guerra, 1996). Pelo meio, ainda colaborou como ator nos êxitos Jurassic Park (Parque Jurássico, 1993) e Elizabeth (1998). É irmão do famoso naturalista David Attenborough.
Como referenciar: Richard Attenborough in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 09:46:54]. Disponível na Internet: