Rio do Ouro

Concavidade situada na costa ocidental do Sara, a sua descoberta em 1436 deveu-se a Afonso Gonçalves Baldaia, que ocupava o cargo de copeiro do infante D. Henrique.
Em 1441 foram neste rio capturados um nobre local com outros companheiros no decurso de uma caça às focas ou lobos-marinhos. A captura foi efetuada pelo guarda-roupa do infante D. Henrique, Antão Gonçalves, que então foi armado cavaleiro como recompensa. Tal episódio deu um dos primeiros nomes à foz do Rio do Ouro, Porto do Cavaleiro (tendo também sido conhecido como Angra dos Cavalos). O nobre foi mais tarde resgatado pelo pai em troca de doze escravos negros, tendo Antão Gonçalves, encarregue da troca no Rio do Ouro, instruções para inquirir sobre o Preste João.
O nome do rio deve-se ao facto de ter sido o primeiro sítio de câmbio de ouro por escravos, tendo a partir da sua descoberta sido profusamente explorado pelas peles de lobos-marinhos e pelo óleo dos mesmos.
Como referenciar: Rio do Ouro in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-22 10:07:31]. Disponível na Internet: