Rodrigo Paganino

Escritor, tradutor, jornalista e médico-cirurgião português, Rodrigo Botelho da Fonseca Paganino Júnior nasceu a 2 de agosto de 1835, em Lisboa, e faleceu a 22 de setembro de 1863, em Carnide. Ficou sobretudo célebre como contista graças à coletânea Os Contos do Tio Joaquim, publicada em 1861, narrativas de teor popular e de intenção moralista, nas quais sobressai uma ideologia conservadora.
Filho de um oficial da Secretaria do Estado dos Negócios da Fazenda, frequentou a Escola Médica de Lisboa e foi nomeado, em 1857, subdelegado técnico do Conselho de Saúde, prestando serviços durante a epidemia da febre amarela. Paralelamente, colaborou em vários jornais e revistas como O Panorama, O Português, o Arquivo Pitoresco, o Jornal de Belas Artes, que fundou em 1858, e o Arquivo Universal, de que também foi cofundador em 1859, onde sairiam muitas das histórias recolhidas em Os Contos do Tio Joaquim, redigidas durante um período de convalescença passado nos arredores de Lisboa. Em 1862, viu representado no Teatro D. Maria II o seu drama Os Dois Irmãos, mas seriam os contos a assegurar-lhe a celebridade.
Morreu precocemente, aos 28 anos de idade, vítima de uma doença dos pulmões, cuja evolução parece ter sido apressada por um desgosto amoroso.
Reatando a tradição do conto oral tradicional e rompendo com o estilo da ficção ultrarromântica, a curta obra de Rodrigo Paganino prenuncia espontaneamente o realismo, abrindo caminho ao ruralismo, presente nas obras de Júlio Dinis e Trindade Coelho.
Como referenciar: Rodrigo Paganino in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-16 02:59:03]. Disponível na Internet: