romance de espaço

O romance de espaço é o que representa uma época, interessando-se por traduzir não apenas o ambiente histórico, mas também por apresentar vários quadros sociais que permitem um melhor conhecimento do ser humano. Dá primazia à descrição dos ambientes físicos e sociais, procurando "pintar" os espaços, onde se enquadra a ação. Esta classificação resulta da análise dos elementos estruturais da narrativa: personagem, espaço e acontecimento.
O Memorial do Convento, de José Saramago, por exemplo, pode ser classificado como romance de espaço (e também histórico, social e romance de intervenção) pela riqueza do cenário, reconstruindo Lisboa e diversas povoações em seu redor, o que permite observar as preocupações com os factos históricos e as vivências do povo humilde; espreitar a intimidade e os deveres conjugais - "duas vezes por semana" - do rei D. João V, que necessita de herdeiros; assistir à construção de um convento em Mafra; recordar a passarola voadora do Padre Bartolomeu Lourenço; ou reviver as perseguições religiosas e políticas da Inquisição. Sempre que pode, uma voz narrativa insurge-se sarcasticamente contra os repressores:

"Devagar, a terra aproxima-se, Lisboa distingue-se melhor, o retângulo torto do Terreiro do Paço, o labirinto das ruas e travessas, o friso das varandas onde o padre morava, e onde agora estão entrando os familiares do Santo Ofício para o prenderem, tarde piaram, gente tão escrupulosa dos interesses do céu e não se lembram de olhar para cima, é certo que, a tal altura, a máquina é um pontinho no azul".
Como referenciar: romance de espaço in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 05:57:40]. Disponível na Internet: