Roseau

Aspetos Geográficos
Capital e maior cidade de Dominica, Roseau localiza-se no sudoeste da ilha, na costa do mar das Caraíbas. Constituindo também um porto, é rodeada pelos rios Roseau e Morne Bruce. Possui um clima tropical e uma população de cerca de 16 500 habitantes (2006).
História e Monumentos
A cidade foi construída no lugar de uma antiga aldeia dos índios Kalinago chamada Sairi. É o mais antigo povoado da ilha. No século XVIII, a aglomeração correspondia apenas àquilo que é hoje o centro histórico. Os subúrbios desenvolveram-se rapidamente e fixaram logo população. Alguns formaram-se logo nos séculos XVIII e XIX, outros em meados do século XX e outros ainda na década de 80. Foi colonizada pelos franceses, que a incendiaram em 1805, deixando-a em seguida para os britânicos após terem recebido uma compensação monetária. O monumento mais importante da cidade é a igreja católica, existindo também mais algumas igrejas antigas. Outro edifício emblemático é o Hotel Fort Young, construído no local de um antigo forte francês que foi capturado pelos britânicos em 1761.
Aspetos Turísticos e Curiosidades
Roseau é uma cidade pequena e compacta. O seu centro é povoado por pequenas casas, embora existam sempre elementos naturais a pontuar a paisagem: mar, rios e jardins. Os jardins botânicos da cidade são, aliás, únicos nesta região das Caraíbas, pelo menos tendo em conta a sua localização central. A estrutura urbana é baseada numa grelha irregular que torna difícil a orientação. Apesar da pequena dimensão, é fácil para um visitante perder-se em Roseau. Dado o seu estatuto, a cidade alberga diversas embaixadas. Tendo em conta o crescimento dos subúrbios, poucos habitantes ficaram no centro, mas muitos são os que para ele se deslocam para trabalhar. A cidade não possui hotéis de cadeias internacionalmente estabelecidas. O turismo existe, embora não atinja grandes proporções.

Economia
Centro do comércio do país, Roseau exporta através do seu porto bananas, óleos essenciais, citrinos, vegetais, especiarias e cacau. A sua atividade turística é ainda pouco consistente, até porque não existem grandes infraestruturas. A função administrativa é também responsável por algum dinamismo económico.
Como referenciar: Roseau in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-30 20:22:47]. Disponível na Internet: