Rui Jorge

Futebolista internacional português, Rui Jorge de Sousa Dias Macedo de Oliveira nasceu a 27 de março de 1973, em Vila Nova de Gaia.
O jogador, que se especializou na posição de defesa-esquerdo depois de ter sido também médio ofensivo, começou a jogar futebol nas camadas jovens do Futebol Clube do Porto. Rui Jorge foi lançado na temporada 1990/1991 na equipa de juniores do clube das Antas pelo treinador Augusto Inácio. Quando este técnico, na época seguinte, trocou o FC Porto pela equipa sénior do Rio Ave Futebol Clube, de Vila do Conde, que militava na II Divisão, levou consigo oito juniores com quem tinha trabalhado nas Antas. Um deles era Rui Jorge que assim, com apenas 18 anos, se impôs como titular. Na sua época de estreia como sénior alinhou em 31 jogos e marcou dois golos.
As boas exibições e a regularidade patenteada, uma das suas características, levaram a que na temporada seguinte, 1992/1993, regressasse ao FC Porto. De novo continuou a trabalhar com o treinador Augusto Inácio, já que este também voltou às Antas para ser adjunto do brasileiro Carlos Alberto Silva. Em 1992/1993 Rui Jorge fez apenas oito jogos, mas a sua pouca utilização foi compensada com o facto de pela primeira vez na sua carreira ter sido campeão nacional de futebol.
Na época seguinte, a situação a nível pessoal correu melhor e o jogador de Gaia foi utilizado em 24 jogos do campeonato. Entretanto, venceu pela primeira vez a Taça de Portugal. Durante a temporada, a 20 de abril de 1994, Rui Jorge foi pela primeira vez convocado para a principal seleção portuguesa, na altura treinada por Carlos Queiroz. A estreia aconteceu num jogo na Noruega que terminou empatado a zero e no qual o defesa esquerdo alinhou nos 90 minutos.
Em 1994/1995 Rui Jorge voltou a não ser tão utilizado na equipa do FC Porto, mas conquistou mais um campeonato nacional. A situação melhorou substancialmente em 1995/1996 já que alinhou em 22 jogos, marcou três golos e foi campeão pela terceira vez.
No verão de 1996, Rui Jorge foi um dos escolhidos para a seleção olímpica portuguesa que esteve nos Jogos Olímpicos de Atlanta nos Estados Unidos da América.
Nas duas temporadas seguintes voltou a ganhar os campeonatos pelo FC Porto, mas era cada vez menos utilizado na equipa principal.
No verão de 1998, depois de conquistar outra Taça de Portugal, trocou o FC Porto pelo Sporting numa transferência pouco habitual em Portugal em que estes dois clubes fizeram uma permuta de jogadores sem envolver dinheiro. Rui Jorge e Bino foram para o Sporting, Peixe e Costinha para o FC Porto.
Aos 25 anos, Rui Jorge impôs-se definitivamente como o melhor defesa esquerdo do seu tempo e tornou-se titular indiscutível do Sporting. Em 1999/2000, voltou a ser treinado por Augusto Inácio, desta vez no Sporting, e pela sexta vez foi campeão nacional. Utilizado em todos os 34 jogos do campeonato, passou a ser chamado com frequência à seleção nacional. Foi um dos jogadores presentes na fase final do Campeonato da Europa que teve lugar na Bélgica e na Holanda no ano 2000.
Definitivamente assumiu a titularidade na seleção e no Sporting, onde voltou a ser campeão em 2001/2002, o que aconteceu pela sétima vez na sua carreira. Nessa temporada triunfou também na Taça de Portugal. Foi ainda um dos jogadores presentes na fase final do Mundial de Futebol disputado no Japão e na Coreia do Sul e no Europeu de 2004, que teve lugar em Portugal.
No final da temporada 2004/2005 Rui Jorge deixou o Sporting e passou e representar o Belenenses.
Como referenciar: Rui Jorge in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 07:51:45]. Disponível na Internet: