Rui Vilar

Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian desde 1996, Emílio Rui da Veiga Peixoto Vilar exerce, também desde esse ano, o cargo de presidente do Conselho de Auditoria do Banco de Portugal.
Nasceu em 1939, no Porto. Terminou a sua licenciatura em Direito pela Universidade de Coimbra em 1961. Ocupou diversos cargos governativos, como o de secretário de Estado do Comércio Externo e Turismo do I Governo Provisório e o de ministro da Economia dos II e III Governos Provisórios e o de ministro dos Transportes e Comunicações do I Governo Constitucional (1976-1978). Em 1976 foi eleito deputado à Assembleia da República.
Do seu vasto currículo merece ainda destaque o exercício de outros cargos. Rui Vilar foi membro do Conselho Nacional do Plano, presidente do Conselho de Gestão do Banco Espírito Santo e Comercial de Lisboa, diretor geral da Comissão das Comunidades Europeias (1986-1989), presidente do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos (1989-1995), comissário-geral para a Europália 91, fundador e primeiro presidente do Conselho Coordenador da Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, fundador do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento, presidente da Câmara de Comércio Luso-Britânica (1984-1986), vice presidente da Fundação de Serralves (1989-1990) e presidente da Assembleia Geral do Centro de Informação Jacques Delors.
Rui Vilar foi distinguido, entre outras condecorações, com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo e com a Grã-Cruz da Ordem do Infante.
Como referenciar: Rui Vilar in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-15 08:32:42]. Disponível na Internet: