S. Gregório VII

Papa italiano, de seu nome Hildebrando, foi um diácono que desempenhou um papel relevante nos papados anteriores ao seu. Já eleito papa, foi ordenado presbítero em maio de 1073 e consagrado a 22 de junho do mesmo ano, tendo a sua aclamação sido unânime (apesar de ocupar o trono pontifício contra a sua vontade). O seu pontificado estendeu-se até 25 de maio de 1085.
Era originário da Toscânia (Soana) e filho de Bonizo, tendo nascido entre os anos 1020 e 1025. Teve a sua educação no mosteiro de Santa Maria do monte Aventino (Roma), foi ordenado diácono pelo papa Gregório VI e acompanhou-o no exílio, em Sutri, até à sua morte. Em 1047 integrou um mosteiro cluniacense e no papado de Leão IX foi chamado a chefiar a administração pontifícia, tornando-se também presbítero da igreja de São Paulo. Fez parte do grupo de reforma da Igreja e foi legado pontifício em diversas ocasiões.
A sua linha de conduta apoiou-se nos princípios de supremacia da Igreja de Roma, infalibilidade do papa, condenação do concubinato e da simonia e eleições de acordo com a prática eclesiástica. Desta altura datam as Dictatum Papae, vinte e sete atribuições do pontífice de Roma (dados por Deus) que tornava a Igreja completamente independente do poder temporal para que pudesse servir melhor os homens, conduzindo-os à salvação.
As posições fortemente reformistas deste papa causaram resistência por parte de clérigos habituados ao fausto que os cargos lhes proporcionavam, não habituados, por outra parte, a cumprir as suas obrigações. Mas também a condenação das investiduras laicas criou um problema bastante grave com os senhores temporais. Foi assim que se deu a rutura de relações entre o imperador Henrique IV e o papa, depois de no sínodo de 1074 ter decretado a condenação das investiduras. Desta vez, a decisão passou à prática, e a cisão deu-se em 1075, quando o imperador conseguiu poder suficiente para se opor a Gregório VII.
Uma consequência destes acontecimentos foi a prisão do papa em dezembro de 1075, com o objetivo de o destituir; contudo, o povo manifestou-se de tal forma que a sua libertação foi imediata.
Gregório excomungou por duas vezes o imperador, tendo a primeira sido em 1076, porque tinha convocado um sínodo que decidiu a sua ilegitimidade e pretendeu eleger um novo papa, e a segunda em março de 1080, porque Henrique IV não cumpriu as promessas feitas para conseguir levantar o primeiro anátema. Como consequência desta última excomunhão, Gregório foi acusado de pacto com o Diabo, simonia, heresia e magia num sínodo realizado em junho de 1080 por clérigos partidários do imperador. Este último atacou e conquistou Roma entre 1083 e 1084, tendo em março de 1084 sido eleito papa Clemente III.
Os lombardos conseguiram tirar o papa Gregório VII de Roma, acabando este por morrer em Salerno, em maio de 1085.
Como referenciar: S. Gregório VII in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-22 02:38:25]. Disponível na Internet: