Sacha Distel

Músico e cantor francês nascido a 29 de janeiro de 1933, em Paris, e falecido a 22 de julho de 2004, em Rayol-Canadel-sur-mer, no sul de França. Sacha era filho de uma pianista e sobrinho de Ray Ventura, líder de uma banda musical, Les Collégiens, na década de 30. Sacha Distel era muito próximo do tio e com ele nasceu a sua paixão pela música. No entanto, durante a Segunda Guerra Mundial a família Distel foi separada, por ter elementos judeus. Enquanto a mãe de Sacha foi presa num campo de prisioneiros alemão, Ray Ventura escapou para os Estado Unidos da América. A libertação da França pelas forças Aliadas em 1944 permitiu a reunião da família.
Sacha, contudo, nunca deixara de aprender música, nomeadamente piano. No entanto, em 1947 passou a dedicar-se à guitarra com a ajuda de outro tio músico e passou a integrar a banda de uma escola de jazz. A ligação de Sacha Distel ao jazz passou a ser mais forte no ano seguinte, quando assistiu em Paris a um concerto do trompetista norte-americano Dizzy Gillespie.
A década de 50 foi a da consagração de Sacha Distel como músico. Após ter sido eleito o melhor guitarrista amador de França, foi considerado durante sete anos o melhor guitarrista de jazz do país. Nesta época, Sacha Distel passou uma temporada a atuar em clubes de Manhattan, em Nova Iorque, graças ao apoio de Ray Ventura. Depois, regressou a França para trabalhar com nomes como Juliette Gréco ou George Brassens. Também atuou com músicos e bandas norte-americanas que passaram por Paris como Lionel Hampton ou o Modern Jazz Quartet. Em finais da década de 50, numa altura em que mantinha uma relação amorosa com a atriz Brigitte Bardot, dedicou-se também a cantar, lançando em 1958 o tema "Scoubidou", que foi um dos maiores sucessos da época. Foi apenas o primeiro de muitos temas de êxito, que estenderam a sua fama até aos Estados Unidos da América.
Em 1962, passou a apresentar um programa de televisão, que durou dez anos, o "Sacha Show", que serviu para lançar novos talentos da música francesa.
"Le Belle Vie", um dos seus temas mais bem sucedidos, foi lançado em 1963 e conheceu mais de 250 novas versões, feitas nomeadamente por consagrados como Tony Bennett e Frank Sinatra, com o título "The Good Life". Ainda nesta época lançou "Chanson Bleue".
Durante a década de 70, Sacha Distel conquistou o mercado britânico com "Raindrops Keep Fallin' On My Head" e passou a dividir a sua vida entre França e Inglaterra, onde apresentou diversos programas televisivos de espetáculos.
Sacha Distel entrou então numa fase de menor intensidade de trabalho, com regressos esporádicos, nomeadamente em 1993, quando conseguiu reunir a antiga banda do tio Ray Ventura.
Em dezembro de 2000, com 67 anos, Sacha Distel estreou-se no teatro, em Londres, tendo participado durante três meses no musical "Chicago". Foi um dos seus últimos trabalhos, antes de se retirar por motivos de doença, que provocaram a sua morte em julho de 2004.
Como referenciar: Sacha Distel in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 05:51:20]. Disponível na Internet: