saiguíneos

Subfamília da família dos Bovídeos e da ordem dos artiodáctilos que inclui uma única espécie, um antílope europeu, o Saiga tatarica, conhecido por saiga, espalhado pela Rússia e Sibéria, que é caracterizado por ter um focinho alongado que forma uma espécie de tromba. Tem a capacidade, tal como os camelos e as girafas, de avançar, simultaneamente, as duas patas do mesmo lado, o que lhe dá um andar insólito, mas lhe permite alcançar nas planícies velocidades de 70 a 80 quilómetros/hora. Este processo de andar torna-o péssimo saltador pelo que prefere rodear os obstáculos, por pequenos que sejam, do que saltá-los. A espécie de tromba que mostra resulta do grande tamanho dos vestíbulos nasais, câmaras ocas que filtram o ar durante a respiração, detendo o pó que os animais levantam ao deslocar-se. A época da reprodução ocorre a partir de novembro e a gestação dura cerca de cinco meses e origina, geralmente, duas crias com cerca de 4 quilogramas de peso e 60 centímetros de comprimento. A protuberância nasal está pouco desenvolvida, embora as patas, orelhas e cauda sejam proporcionalmente maiores que as dos adultos. Os jovens crescem com grande rapidez e poucos meses depois do nascimento as fêmeas entram em cio. Só os machos têm chifres, que nascem ao fim do primeiro mês de vida. Os chifres são anelados, pelo menos em dois terços, e podem atingir os 38 centímetros.
Os saigas são exclusivamente fitófagos e alimentam-se quase exclusivamente de gramíneas, exceto no inverno em que os líquenes são uma fonte importante de alimento.
Os machos adultos têm um comprimento de cabeça e tronco de 142 centímetros e as fêmeas de 124 centímetros. O comprimento da cauda varia entre os 8,5 e 10 centímetros. O seu peso varia entre 20 e 50 quilogramas.
Como referenciar: Porto Editora – saiguíneos na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-07 21:01:35]. Disponível em