Sam Mendes

Realizador e encenador inglês, Samuel Alexander Mendes nasceu a 1 de agosto de 1965 em Reading. Descendente de portugueses, licenciou-se pela Universidade de Cambridge em 1987. Começou a trabalhar no teatro e, em 1990, com apenas 25 anos, tornou-se encenador da Royal Shakespeare Company, dirigindo as peças Troilus and Cressida, com Ralph Fiennes, e The Alchemist (ambas em 1991). Encenou também outras peças para outras companhias como The Plough and the Stars (1991), The Sea (1991) ou The Rise and Fall of Little Voice (1992). Em 1992, tornou-se diretor artístico do Donnar Warehouse, de Londres, um teatro sem fins lucrativos para o qual encenou Assassins (1992), um invulgar musical de Stephen Sondheim; Richard III (1993); Cabaret (1993) ou The Glass Menagerie (1996).
Em 1998, fez a sua estreia na Broadway com o musical Cabaret (que já tinha encenado em Londres), coreografado por Rob Marshall e protagonizado por Alan Cumming e Natasha Richardson, pelo qual foi nomeado para um Tony. No mesmo ano, dirigiu Nicole Kidman na peça The Blue Room, de David Hare, primeiro em Londres e depois na Broadway. Foi, contudo, o seu trabalho em Cabaret que chamou a atenção de Steven Spielberg, que lhe propôs o argumento do seu primeiro filme: American Beauty (Beleza Americana, 1999). Comédia negra sobre um homem em crise da meia-idade (Kevin Spacey) e a sua fria relação com a mulher (Annette Benning) e a filha adolescente (Thora Birch), tornou-se um grande sucesso de crítica e de público, vencendo cinco Óscares, incluindo o de Melhor Filme e de Melhor Realizador.
Em 2002, realizou o filme de gangsters Road to Perdition (Caminho Para Perdição), uma história sobre a natureza da violência e as relações entre pais e filhos, com Tom Hanks no papel pouco comum de um homem envolvido com a mafia irlandesa. Em 2005, produziu e realizou Jarhead (Máquina de Guerra), baseado no livro do soldado norte-americano Anthony Swofford, relatando as suas experiências durante a guerra do Golfo de 1990, com Jake Gyllenhaal a interpretar o papel de Swofford.
Paralelamente com a carreira cinematográfica, continuou a carreira teatral encenando peças como To the Green Fields and Beyond (2000), Twelfth Night (2002) ou Uncle Vanya (2003), entre outras.
Como referenciar: Sam Mendes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-19 08:27:24]. Disponível na Internet: