Samuel Alexander

Filósofo australiano, Samuel Alexander nasceu em 1859, em Sydney, na Austrália, e faleceu em 1938, em Manchester. Tendo-se radicado em Inglaterra, foi professor nesta última cidade de 1893 a 1923.
Edificou um sistema filosófico que pretende partir da observação da própria realidade, do universo para poder conhecer a sua estrutura, as suas categorias. Partindo da experiência sensível chega à conclusão de que o continuum espácio-temporal é o fundamento de tudo quanto existe, o fundamento ontológico de tudo.
Defensor do evolucionismo, entende que a realidade se organiza em diferentes sistemas que progridem quando a sua estrutura se muda numa outra. Visto que a base ontológica do real é o continuum espácio-temporal, a evolução dos diferentes sistemas faz-se pela reorganização deste continuum. A cada reorganização corresponde uma nova qualidade "emergente" que se traduz num novo passo da evolução. A própria mente humana é, portanto, tão-só, a mais recente realidade "emergente" do continuum espácio-temporal.
O espaço e o tempo têm uma relação de interdependência já que um implica o outro. A primeira qualidade que surge deste continuum é o movimento e só a partir deste surgem as coisas materiais num primeiro momento com qualidades químicas e, só num segundo momento da evolução, com qualidades fisiológicas. Este sistema evolucionista culmina na divindade (deity) que representa antecipadamente, em cada momento da evolução, o próximo patamar evolutivo, ou seja, a formação de seres gradualmente mais complexos que estão como que em potência no patamar evolutivo mais avançado. Neste sentido, a religião é a antecipação dos seres que a própria evolução fará "emergir".
Como referenciar: Samuel Alexander in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-30 20:19:29]. Disponível na Internet: