Santa Maria Maior

Santa Maria Maior, foi fundada, em Roma, por Sisto III em 432, mas atualmente é uma igreja barroca. A sua planta obedece a um plano basilical de nave principal com duas naves laterais, muito comum nas primitivas igrejas. Apresenta uma projeção do transepto para o norte e para o sul em frente à abside reproduzindo um plano em T constituindo um esquema precoce.
Insere-se num período de grande atividade construtiva de igrejas aproveitando precisamente este plano simples.
Apresenta interiormente naves decoradas com conjuntos de elegantes colunas jónicas, nas quais assenta um entablamento. Este tipo de técnica e de decoração é influência direta da basílica da Antiguidade clássica, cujo plano é aproveitado para as novas construções cristãs.
O seu interior também está decorado com mosaicos. Correspondem a uma encomenda do mesmo Papa que a mandou edificar. Particularmente importante é a decoração do arco triunfal que reproduz cenas da infância de Cristo e constituiu um modelo para os futuros artistas.
Na época barroca a igreja de Santa Maria Maior sofreu uma notável renovação. A sua transformação mais expressiva está na magnífica ábside erigida por Reinaldi e na fachada que foi totalmente reconstruída sob a traça de Ferdinando Fuga entre 1732 e 1743, numa época em que o barroco se desenvolveu até às últimas consequências.
Como referenciar: Santa Maria Maior in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-07 11:28:57]. Disponível na Internet: