Santa Olávia

Santa Olávia aparece em Os Maias, de Eça de Queirós, como um solar nas margens do Douro. Aí vivia a família Maia "desde a Regeneração" e aí regressava com frequência. Afonso gostava daquele espaço: "o que o prendera mais a Santa Olávia fora a sua grande riqueza de águas vivas, nascentes, repuxos, tranquilo espelhar de águas paradas, fresco murmúrio de águas regantes..." (Cap. I).
Santa Olávia ficava em Resende (Cap. XVIII), "ao pé do rio Douro" na sua margem esquerda. Esta quinta aparece como lugar do sossego, do repouso, símbolo da vitalidade. Aí recebeu Carlos da Maia a educação inglesa em constante contacto com o ar livre. E é aí que regressa, no fim da obra, antes de procurar os amigos em Lisboa.

Como referenciar: Santa Olávia in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-22 01:25:27]. Disponível na Internet: