São Lourenço

Tendo sido diácono da Igreja Romana, a sua morte teve lugar em 10 de agosto de 258, quatro dias após ter sido preso com outros seis diáconos e o Papa São Sisto II pelos guardas do imperador Valeriano. Sendo arquidiácono, e portanto tesoureiro, foi torturado numa grelha em brasa, segundo a tradição, antes de morrer, para que entregasse os bens que estavam na sua posse. O imperador Valeriano tinha emitido um édito nos princípios de agosto de 258 em que condenava à morte todos os bispos, padres e diáconos, ordem que foi executada imediatamente. De acordo com o Almanaque de Filocalus de 354, o túmulo de São Lourenço estaria localizado na Via Tiburtina, e os itinerários dos mártires romanos mencionam a Catacumba de Ciríaca como o local do seu martírio.
Sendo um dos mais importantes mártires da Igreja Romana, desde o século IV, Constantino o Grande foi o primeiro a honrá-lo construindo um pequeno templo sobre o seu túmulo que foi mais tarde aumentado pelo Papa Pelágio II (579-90). O Papa Sisto III (432-40) construiu uma grande basílica junto à antiga igreja, em cima do monte onde São Lourenço foi enterrado, e, no século XIII, Honório III juntou os dois edifícios num só, constituindo a atual Basílica de São Lourenço. O Papa São Dâmaso (366-84) escreveu o panegírico em verso que está inscrito no seu túmulo. Santo Ambrósio de Milão narra no seu De officiis que quando perguntaram a São Lourenço pelos tesouros da igreja este indicou os pobres e quando o Papa Sisto II foi levado para a morte quem o confortou foi São Lourenço, que queria com ele partilhar o martírio, dizendo-lhe que o santo o seguiria dentro de três dias. Santo Ambrósio diz ainda que São Lourenço foi queimado até à morte em cima de uma grelha, de onde, antes de morrer terá dito ao seu carrasco: "deste lado já está bem tostado, vire-me do outro e depois sirvam-se". Tanto as palavras entre São Lourenço e Sisto II como a morte na grelha não são muito verosímeis. O poeta Prudêncio descreve o martírio de São Lourenço no seu hino ao santo. Ambas as narrativas são baseadas na tradição oral, não sendo, por isso, exatas. No entanto, não há dúvidas sobre a existência de São Lourenço, sobre o seu martírio e respetivo local e ainda sobre a data do seu enterro. O Papa Dâmaso construiu uma basílica em honra de São Lourenço em Roma, que ficou a ser conhecida como a igreja de São Lourenço de Dâmaso. A Igreja de São Lourenço em Lucina ainda existe. São Lourenço é representado com a grelha sobre a qual se supõe que terá sido queimado até morrer.
Como referenciar: São Lourenço in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-24 00:08:54]. Disponível na Internet: