seabórgio

O seabórgio, cujo símbolo químico é Sg, é um elemento químico sólido a 25 °C pertencente à classe dos metais de transição, metálico, preparado por síntese, de cor branco-prateada ou acinzentada, que se localiza no grupo 6 e período 7 da Tabela Periódica.
Este elemento possui número atómico 106 e massa atómica 263,118.
O seabórgio foi sintetizado independentemente por uma equipa de cientistas russos da Universidade de Dubna da Federação Russa, ex-URSS e por uma equipa de cientistas americanos da Universidade de Berkeley, na Califórnia.
Em 1974, o cientista russo G. N. Flerov produz sinteticamente o elemento 106 depois da realização de experiências na Universidade de Dubna envolvendo reações de bombardeamento entre isótopos altamente energéticos e iões crómio-54.
Em 1993, o cientista Albert Ghiorso e a sua equipa realizam experiências semelhantes às dos cientistas russos e confirmam a descoberta do seabórgio.
Este elemento teve o nome provisório de unnilhéxio (Unh) derivado dos termos grego e latino para 1-0-6, isto é, un-nil-hexium, sendo no entanto seabórgio o nome da IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry).
Os elementos transactinídeos, como é o caso do seabórgio, podem ser preparados artificialmente usando aceleradores de partículas. Os isótopos do seabórgio são instáveis e possuem meias vidas muito curtas (menos de um segundo).
O seabórgio não se encontra presente na Natureza. Se este se encontrasse presente constituiria um risco devido à sua perigosa radiação. Nunca foi observada a formação de grandes quantidades de seabórgio, sendo este sintetizado em pequeníssimas quantidades. As primeiras amostras foram obtidas a partir de reações nucleares envolvendo a fusão de um isótopo de califórnio, o califórnio-249, com oxigénio-18.
Mais recentemente, outros isótopos foram produzidos no Instituto Paul Scherrer (PSI), na Suíça, usando átomos de néon para bombardear os isótopos de califórnio.
O seabórgio não apresenta aplicações práticas e desconhecem-se as suas reações com o ar, a água, os halogéneos, os ácidos e as bases.
Como referenciar: Porto Editora – seabórgio na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-01-26 20:49:38]. Disponível em