Sean Connery

Ator escocês, nascido em Edimburgo, a 25 de agosto de 1930, foi o primeiro, e segundo vários críticos o melhor, a interpretar o papel de James Bond, em vários filmes baseados nos romances de Ian Fleming. Desiludido com as más condições económicas em que vivia a sua família, partiu em 1946 para Londres. Aí alistou-se na Marinha por um período de quatro anos. De regresso a Londres, decidiu praticar culturismo, tendo participado em alguns concursos da especialidade. Jogou também futebol na equipa de reservas do Manchester United. Em 1951, interessado em seguir uma carreira artística, conseguiu um emprego de figuração no coro do musical South Pacific. A conselho do seu encenador, Connery decidiu tirar um curso de Interpretação, ao mesmo tempo que trabalhava como ator amador em peças teatrais e séries televisivas. Estreou-se cinematograficamente com uma aparição breve em Lilacs in the Spring (1954), protagonizado por Errol Flynn. Após uma série de papéis menores e de uma prestação no filme juvenil Darby O'Gill and the Little People (O Senhor da Terra, 1959), surpreendeu o mundo da Sétima Arte ao ser escolhido para desempenhar a figura de James Bond em Dr. No (Agente Secreto 007, 1962). Apesar de não ter sido uma primeira escolha (Richard Burton e Albert Finney já tinham sido sondados para o efeito), a imponência e fleuma de Connery nos castings impressionou decisivamente os produtores. O filme foi um sucesso e Connery foi catapultado para a fama, interpretando Bond em mais cinco títulos: From Russia With Love (007, Ordem Para Matar, 1963), Goldfinger (007 Contra Goldfinger, 1964), Thunderball (007, Operação Relâmpago, 1965), You Only Live Twice (Só Se Vive Duas Vezes, 1967) e Diamonds Are Forever (Os Diamantes São Eternos, 1971). Pelo meio, tentou desassociar-se da figura de Bond, protagonizando Marnie (1964) de Alfred Hitchcock, The Hill (A Colina dos Malditos, 1965) de Sidney Lumet e The Anderson Tapes (O Dossier Anderson, 1971). A sua filmografia pós-Bond está repleta de sucessos e de papéis carismáticos: o de Coronel Arbuthnot em Murder on the Orient Express (Crime no Expresso do Oriente, 1974), o de ousado militar em The Man Who Would Be King (O Homem que Queria ser Rei, 1975), o sheik árabe de The Wind and the Lion (O Leão e o Vento, 1975), o envelhecido Robin dos Bosques de Robin and Marian (A Flecha e a Rosa, 1976) e o rei Agamemnon em Time Bandits (Ladrões do Tempo, 1981). Através de um contrato milionário, aceitou desempenhar novamente James Bond em Never Say Never Again (Nunca Mais Digas Nunca, 1983). Depois de uma série de êxitos como Der Name der Rose (O Nome da Rosa, 1986) e Highlander (Duelo Imortal, 1986), venceu o Óscar de Melhor Ator Secundário desempenhando o honesto polícia irlandês Jim Malone em The Untouchables (Os Intocáveis, 1987). Já sexagenário, impressionou os seus fãs com a sua boa forma física em filmes de ação como The Hunt For the Red October (A Caça ao Outubro Vermelho, 1990), Rising Sun (Sol Nascente, 1993), Just Cause (Causa Justa, 1995), The Rock (O Rochedo, 1996) e Entrapment (A Armadilha, 1999). Os seus trabalhos mais recentes foram o de um escritor misantropo em Finding Forrester (Descobrir Forrester, 2000) e do aventureiro Allan Quatermain em League of Extraordinary Gentlemen (A Liga de Cavalheiros Extraordinários, 2003).
Como referenciar: Sean Connery in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-16 05:29:02]. Disponível na Internet: