Artigos de apoio

Sebastião Rodrigues
Artista português, Sebastião Campos Afonso Rodrigues dos Santos nasceu em 1929, no Dafundo, em Lisboa.
Em 1940 e 1941 estuda na Escola Industrial Marquês de Pombal, tendo como professores o arquiteto Frederico George e o pintor Calvet Magalhães. Dificuldades económicas obrigam-no a abandonar os estudos, produzindo então alguns trabalhos gráficos para o jornal A Voz. Em 1945 é convidado a trabalhar na Agência de Publicidade Artística em Lisboa, verificando-se na sua produção a influência do neorrealismo de Víctor Palla.
A partir de 1948, no atelier de Manuel Rodrigues, executa bastantes trabalhos (cartazes, folhetos e estudos de montras) para o Secretariado Nacional da Informação. Estes trabalhos foram marcados pelo movimento modernista e pela cultura do "Bom Gosto" que marcaram as produções culturais do regime após as Comemorações Centenárias de 1940.
Em 1954 viaja para o Brasil, onde permanece durante um ano.
Realiza trabalhos para as Publicações Europa-América, para a Verbo, para o Banco de Fomento Nacional, participa na montagem da exposição "Bernardo Marques" e desenha inúmeras capas para livros. Participa, com os artistas Abel Manta, Sttau Monteiro e Cutileiro, entre outros, na revista Almanaque. É responsável pelo design gráfico do livro O Papel-Moeda em Portugal, que se tornará uma das suas obras de referência.
O gosto modernista da sua produção inicial manter-se-á em grande parte nos seus trabalhos tardios, embora sejam evidentes algumas inflexões na orientação estética, determinadas ora por influência de outros desenhadores com quem frequentemente trabalha, ora por motivações de carácter pessoal, como o testemunha o trabalho de investigação que realiza sobre a cultura popular no seguimento de uma bolsa de estudo da Fundação Calouste Gulbenkian.
Participa em inúmeras exposições, como 9.a Exposição Geral de Artes Plásticas, em 1954, a Exposição 30 Anos de Cultura (do SNI), em 1956, a primeira Exposição de Artes Plásticas de Fundação Calouste Gulbenkian, em 1957, a 2. a Bienal de Tours em 1962.
Foi distinguido com vários prémios, dos quais se destacam o diploma de Honra no Cartaz para as Olimpíadas de Helsínquia em 1952, o prémio na Feira Internacional de Lisboa em 1962, o Award of Excellence pelo International Council of Graphic Associations, em 1991 e a medalha de Grande Oficial da Ordem de Mérito do Presidente da República, em 1995. Foi ainda sócio-fundador da Associação Portuguesa de Designers, em 1976.
Desde 1989 deixa de produzir, vitimado por doença. Morreu em 1997.
Como referenciar: Sebastião Rodrigues in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-11-23 03:35:53]. Disponível na Internet: